Daniel Beltrammi: ‘vacinas poderão chegar na segunda quinzena de janeiro na PB’

 


O secretário executivo de saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, admitiu nesta terça-feira (5) que a Paraíba poderá receber as vacinas já na segunda quinzena de janeiro, caso as pendências dos laboratórios sejam resolvidas junto a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Nacional).

“Hoje a gente depende de uma etapa muito importante que é a entrega definitiva de todos os laboratórios que produzem ou que produziram vacina no Brasil ou que trarão vacina para o Brasil, das documentações para que, pelo menos, se possa concluir o regime emergencial dessas vacinas. Nós esperamos que essa semana, começando em 4 de janeiro, eles (os laboratórios) possam encerrar essa etapa de entrega de documentos para que a gente possa pensar na segunda quinzena de janeiro, para que as vacinas possam começar a ser adquiridas e distribuídas para todo o Brasil”, explicou o secretário.

Segundo ele, a AstraZeneca, Pfizer, o Instituto Butantan, bem como outros laboratórios ainda têm pendência documentais com a Anvisa.

Beltrammi fez um alerta para que as pessoas tenham muito cuidado durante a época de veraneio no Litoral paraibano para não se contaminar com a Covid-19. Ele também avisou que as fiscalizações serão intensificadas, nesse período, pelos órgãos de saúde do Estado para evitar o aumento no número de infecções do novo coronavírus e uma possível deteriorização da pandemia.

“O veraneio paraibano começou. Várias pessoas estão chegando nas cidades litorâneas do Estado, em especial João Pessoa E agora, mais do que nunca, as pessoas precisam nos ajudar a manter medidas de cuidado, como por exemplo, se eu venho do interior para uma casa de veraneio, o ideal é que essa casa fique a penas com as pessoas que já residem na mesma casa, que não tragam 100 números de famílias para se reuniram em uma casa de veraneio”, disse o secretário, acrescentando: “Nós vamos precisar incentivar as pessoas a usarem máscaras nas praias, porque as pessoas vão está mais próximas e as praias vão está mais cheias. A gente espera que se faça fiscalizações mais intensificadas que nós vamos fazer juntos nos ambientes e estabelecimentos”.

Nenhum comentário