Diretor da Moderna diz que vacina não impede propagação do coronavírus

 


O diretor médico da farmacêutica norte-americana Moderna, Tal Zaks, afirmou que ainda não há comprovação de que a vacina desenvolvida pela empresa contra a covid-19 seja capaz de evitar a propagação do novo coronavírus. Segundo ele, não há evidências de que o imunizante impede que uma pessoa transporte o vírus “temporariamente” e infecte outras pessoas que não foram vacinadas.

“Acho que precisamos ter cuidado, ao sermos vacinados, para não interpretar exageradamente os resultados”, disse Zaks em entrevista publicada pelo Axios nesta segunda-feira (23/11/2020). “Quando começarmos a implantação desta vacina, não teremos dados concretos suficientes para provar que esta vacina reduz a transmissão”, completou.

Para o diretor médico da Moderna, as pessoas não devem “mudar comportamentos apenas com base na vacinação”. “Eu acredito que isso reduz a transmissão? Com certeza sim, e digo isso por causa da ciência. Mas, na ausência de provas, acho importante não mudarmos comportamentos apenas com base na vacinação”.

A Pfizer também anunciou que o imunizante que vem produzindo em parceria com a BioNTech tem alto percentual (90%) de eficácia contra o novo coronavírus, assim como a desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford.

Na entrevista ao Axios, Tal Zaks também anunciou que uma vacina contra covid-19 específica deve estar disponível para crianças até o fim do 1º semestre de 2021.


Poder360


Nenhum comentário