Header Ads

Ministro do STF mantém prisão preventiva de prefeito de Uiraúna

O pedido de prisão domiciliar ingressado pela defesa do prefeito de Uiraúna João Bosco Fernandes (PSDB) foi negado pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF).
João Bosco Fernandes é investigado na Operação Pés de Barro.
O advogado do prefeito, Fernando Erick Queiroz de Carvalho, alegou no pedido que o gestor enfrenta quadro depressivo há alguns anos e que as razões que fundamentaram a prisão não existem mais.
Com a decisão, o prefeito permanece em prisão preventiva.
Gilmar Mendes determinou ainda “a realização de exame psiquiátrico, a ser efetuado por médico especializado, de modo a apurar os problemas de saúde alegados e a possibilidade de tratamento no presídio.”
O prefeito de Uiraúna foi acusado por um delator de ter recebido 5% propina referente a um possível superfaturamento na Adutora Capivara, uma obra que deve se estender de São José do Rio do Peixe a Uiraúna, no Sertão da Paraíba.
*com informações do jponline

Nenhum comentário