Header Ads

CMCG

Secretaria de Saúde divulga levantamento de infestação do Aedes aegypti


A Secretaria de Saúde de Campina Grande realizou entre os dias 1 e 5 de abril o 2º Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2019. Os Agentes de Combate às Endemias encontraram focos do mosquito em 5,6% dos imóveis vistoriados, o que é considerado alto e aponta para risco de proliferação das doenças transmitidas pelo Aedes.

Foram realizadas coletas em imóveis de 51 bairros e localidades de Campina Grande. Os bairros que apresentaram os maiores índices foram o Distrito Industrial, Presidente Médici, Quarenta e Santa Cruz, que chegaram a registrar 11% de focos no total de locais visitados pelos agentes. O bom exemplo ficou por conta dos moradores do Catolé, Itararé, e do distrito de Galante, onde só foram registrados focos em 1,4% dos pontos vistoriados.

A grande maioria das larvas, mosquitos e ovos foi flagrada nos reservatórios que estavam no nível do chão, ou seja, em espaços alcançáveis pelos moradores e que poderiam ser perfeitamente limpos. Quase 90% dos criadouros estavam em tonéis, cisternas, baldes, caixas d’água, garrafas e piscinas.

No primeiro LIRAa do ano o índice era de 3,2. “Nós atribuímos esse aumento no índice ao início da ocorrência de chuvas associado ao calor que ainda está fazendo, que são componentes que oferecem o acúmulo de água e o ciclo reprodutivo mais rápido do mosquito”, avaliou a Coordenadora de Vigilância Ambiental, Rossandra Oliveira.

A Secretaria vem realizando diversas atividades de conscientização da população e de combate ao mosquito. A pasta criou, por exemplo, o programa Denguezapp, que soluciona centenas de casos denunciados de focos do mosquito. Também foi reimplantado o serviço do carro fumacê no município e, no ano passado, foram recolhidas 275 toneladas de pneus das ruas e realizados 56 mutirões de orientação e combate, distribuição de hipoclorito de sódio e piabas para reservatórios.

Nenhum comentário