Header Ads

CMCG

Tiros deixam 10 mortos em escola de Suzano (SP)


Duas pessoas encapuzadas, aparentemente adolescentes, efetuaram disparos dentro de uma escola em Suzano (Grande São Paulo) matando ao menos oito pessoas na manhã de hoje, segundo informações da Polícia MilitarOs dois atiradores cometeram suicídio, totalizando em dez o número de mortos na ação. Entre os mortos estão sete crianças e um funcionário da Escola Estadual Professor Raul Brasil.
Ainda segundo a PM, uma pessoa que havia sido socorrida morreu no hospital, mas ainda não há informação se era um aluno. Ainda não se sabe o que motivou o crime.
A PM informou ainda que há sete pessoas internadas em hospitais da região. Os adolescentes feridos foram levados para o Hospital Santa Maria, que fica a 300 metros da unidade de ensino. Outros feridos foram levados para a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia, também em Suzano. Ainda não há informações sobre seus estados de saúde.
A Escola Estadual Raul Brasil fica na rua Otavio Miguel da Silva, no bairro Parque Suzano. Segundo o Censo Escolar 2017, a unidade de ensino tem 105 funcionários e 1.067 alunos. Os estudantes são do 5º a ano ao ensino médio, sendo a maioria alunos de ensino médio.

Funcionários de igreja ouviram tiros

A escola fica bem em frente a uma Igreja Messiânica Mundial. O funcionário do templo religioso Marcos Filho contou ao UOL que os tiros foram ouvidos após às 9h, durante o intervalo dos alunos.
"A minha esposa estava aqui de manhã, ela ouviu vários tiros vindos da escola. Nós ficamos bem em frente ao prédio da escola. As crianças começaram a correr", contou.
Segundo ele, a igreja está tentando prestar assistência a quem chega ao local. "Tem muito bombeiro aqui, muita polícia, helicópteros sobrevoando. Não dá para saber quem é pai e mãe querendo saber dos filhos e quem é curioso", disse.

Doria foi ao local

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), cancelou a sua agenda prevista para a tarde de hoje e foi para o local acompanhar os trabalhos de resgate e atendimento aos feridos.
Ele está acompanhado do secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, e o secretário de Segurança Pública de São Paulo, general João Camilo Pires de Campos. No Twitter, ele disse ter recebido a "triste notícia de que crianças foram cruelmente assassinadas".

Uol

Nenhum comentário