Header Ads

CMCG

A cada 34 horas um caso de suicídio é registrado na Paraíba; dia estadual chama atenção para discutir problema



Cargas altas de cobranças, horas exaustivas de trabalho e tantos outros fatores podem contribuir para o surgimento de uma doença silenciosa que afeta pessoas de todas as faixas etárias: a depressão. De acordo com o Sistema de Informação sobre Mortalidade da Secretaria Estadual de Saúde (SIM/SES), na Paraíba, a cada 34 horas um caso de suicídio é registrado.
 
A deputada estadual Camila Toscano (PSDB), autora da Lei 11.152/18, que cria o Dia Estadual de Prevenção e Combate à Depressão, em 12 de março, alerta para necessidade do debate sobre a doença. “Estamos falando de uma doença que atinge desde a criança ao idoso e que ainda há pouca discussão sobre o assunto. É necessário que haja um processo educacional para abordagem desse tema na sociedade e que este deixe de ser um tabu”, afirma.  
 
A data 12 e março foi escolhida devido ao suicídio, no ano passado, de uma ex-atleta do time de vôlei que a parlamentar faz parte em João Pessoa. “Uma mulher jovem e cheia de vida, mas que infelizmente não recebeu a atenção necessária e acabou colocando um fim a sua própria vida devido a uma depressão”, contou.
 
Para tucana, o assunto merece mais atenção. “Precisamos entender o que é a depressão, como ela afeta a vida de uma pessoa e identificar sinais da doença para podermos ajudar quem sofre desse grave problema que atinge cada vez mais os paraibanos. Isso só é possível por meio de campanhas de conscientização que mostrem a nossa sociedade que falar da depressão mais do que importante é necessário”, reflete Camila.
 
Dados – Segundo um levantamento da Organização Mundial de Saúde (OMS), divulgado 2018, os casos de depressão estão aumentando globalmente – 18,4% –, e as estimativas são de que até 2020 essa será a patologia mais incapacitante de todo mundo.
 
Por ano, uma média de 11 mil pessoas tiram a própria vida no país. De acordo com o primeiro boletim epidemiológico sobre suicídio, divulgado em 2017 pelo Ministério da Saúde, entre 2011 e 2016, 62.804 pessoas tiraram suas próprias vidas no Brasil, 79% delas são homens e 21% são mulheres.
 
A taxa de mortalidade por suicídio entre os homens foi quatro vezes maior que a das mulheres, entre 2011 e 2015. São 8,7 suicídios de homens e 2,4 de mulheres por 100 mil habitantes.

Nenhum comentário