Header Ads

CMCG

Candidato que já obteve quase 70 mil votos para deputado federal, em 2010, hoje sonha apenas com uma suplência: "Me conformo"


Em 2010 ele abocanhou exatos 68.147 votos na disputa pela Câmara Federal, chegando a titularidade do mandato em janeiro de 2013, graças a renúncia do então deputado Romero Rodrigues (PSDB), que deixava o parlamento para assumir a prefeitura de Campina Grande. Trata-se do hoje, ex-deputado, Major Fábio.

Passados oito anos, desde então, o político que ficou conhecido como ‘o homem da PEC 300’, proposta que beneficiava, sobretudo, as polícias, em todo país, retornou à cena política, porém não com tanta ambição.
Hoje filiado ao Progressitas, do deputado federal Aguinaldo Ribeiro, Major Fábio mira pelo menos uma suplência, a fim de repetir o feito de assumir a titularidade do mandato através dos puxadores de voto de sua coligação.
Em entrevista a setores da imprensa paraibana, essa semana, Fábio disse que acredita na reeleição de Aguinaldo Ribeiro, com votos suficientes para puxar e eleger a vereadora Eliza Virgínia (Progressistas). Já ele, assim como das outras vezes, se contentaria com a suplência.
 “Eu me contento com a primeira suplência e vou chegar lá novamente”, sentenciou.
Major Fábio assumiu pela primeira vez o mandato de deputado federal na condição de suplente, na vaga do deputado cassado Walter Brito Neto.
Naquela legislatura, o militar figurava como terceiro suplente e, diante da impossibilidade do primeiro (Tarcísio Marcelo) e do segundo (Walter Brito Neto), sobrou para Major Fábio ocupar a vaga.
Na eleição seguinte, já com um trabalho reconhecido pelo período que ficou como parlamentar titular, Major Fábio conseguiu os quase 70 mil votos, emplacando a primeira suplência.
Em 2014, todavia, Major Fábio encarou a disputa pelo Governo do Estado, mas não prosperou. Agora em 2018 espera ser mais uma vez agraciado com o mandato, mesmo que seja na qualidade de suplente, pela terceira vez.

PB Agora

Nenhum comentário