Header Ads

CMCG

Encerramento da campanha do “Agosto Lilás” é comemorado com debate, apresentações culturais e lançamento de cordel



Nesta sexta-feira (25), a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Queimadas, através da Gerência de Articulação e Política para as Mulheres encerrou o “Agosto Lilás”. O evento foi realizado durante todo este mês de agosto e foi dedicado ao combate e enfrentamento a violência contra a mulher. Uma série de ações e atividades foram desenvolvidas por todos que compõem a Rede de Atendimento à Mulher (Ream).

Dentre as ações ocorridas neste mês de agosto, destacou-se: palestras, oficinas, rodas de conversas, formações com profissionais das áreas de Educação, Assistência Social, Agricultura, lideranças comunitárias, pontuando a importância do trabalho que Queimadas vem realizando em todos os seguimentos junto as suas parcerias internas e externas.

Nesta sexta-feira (25), a temática foi “Café com Lei” que abordou os avanços e desafios da Lei 11.340/2006, conhecida como lei Maria da Penha e teve como palestrantes o promotor de Justiça da Comarca de Queimadas, Dr. Márcio Teixeira que explanou sobre a responsabilidade criminal dos agressores nos casos de violência doméstica e de feminicídio.

Dr. Márcio destacou o papel do Ministério Público no âmbito do combate a violência contra a mulher e falou a respeito do Projeto Refletir que tem por objetivo debater com homens agressores, a problemática na tentativa de conscientizá-los quanto a importância da desnaturalização da violência.

A coordenadora das Delegacias de Atendimento as Mulheres do Estado da Paraíba, Dra. Maísa Felix também proferiu palestra e falou sobre o atendimento humanizado as vítimas e as estatísticas de feminicidio no estado, apresentando gráficos e mostrando o quanto ainda é necessário mudar essa realidade recorrente.

A Dra. Renata Matias também esteve presente e frisou o olhar atento da Policia Civil e o quanto a sociedade pode contribuir acionando mecanismos como o Disk Denúncia através do 197.

Na oportunidade, a delegada da Mulher de Queimadas, Dra. Juliana Brasil recebeu das mãos da vereadora, Madalena, o título de cidadã queimadense. A parlamentar destacou a atuação efetiva da delegada e assegurou que o título faz jus ao trabalho que Dra. Juliana Brasil desenvolve no município.

Para a gerente operacional de Enfrentamento à Violência Contra à Mulher, Isânia Monteiro, a atividade só veio a somar, pois Queimadas é um dos municípios que mais tem se preocupado com a pauta das mulheres. “Aqui em nosso município existe uma rede atuante que visa minimizar os índices de violência e esse trabalho é feito nas escolas e com as equipes de profissionais que estão na ponta dos atendimentos”, destacou.

Para a secretaria de Desenvolvimento Social de Queimadas, Maria Alzenira não apenas o evento desta sexta, mas todo o mês de agosto foi de suma importância, principalmente no que se refere ao envolvimento e atuação dos órgãos de políticas públicas em defesa das mulheres. “A nossa Secretaria tem priorizado essa demanda e todos que compõem a proteção básica e especial estão envolvidos nesse processo, em busca de melhorarmos as estatísticas negativas com relação à violência contra a mulher.

O evento foi uma realização da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Queimadas, através da Gerência de Articulação e Política para as Mulheres e serviços da Proteção Básica e Especial desta, em pareceria com a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher e todos que fazem parte da Rede de Atendimento à Mulher (Ream).

Lançamento do Cordel, exposição de miniaturas e apresentações culturais

Uma das colaboradoras do evento, a coordenadora de Cultura do município, Anne Ferreira lançou o Cordel de sua autoria: "Viver sem violência é um Direito: Conquistá-lo foi um grande feito" e realizou uma exposição de miniaturas sobre a temática do combate à violência contra à mulher, também de sua autoria.

O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV-I) realizou uma apresentação cultural de teatro com o tema: “Maria não vai com as outras”, inspirada na versão da música Trem Bala, pelo fim da violência contra a mulher em voz e violão entoada pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV-II).

 

Nenhum comentário