Header Ads

CMCG

Belo segue rumo à classificação na próxima fase do Campeonato Brasileiro da série C




Definitivamente, a briga do Botafogo-PB é pela classificação para a próxima fase do Campeonato Brasileiro da série C. O triunfo do último domingo (29), diante do Atlético- AC, garantiu a vaga do Belo na terceirona do ano que vem.
Todavia, o sonho de jogar a segunda divisão, em 2019, parece ter se desenhado na realidade do clube alvinegro. O sonho passa, diretamente, pela mudança no comando técnico. Foi a terceira vitória sob o comando de Evaristo Piza. As três conquistas foram construídas no Estádio Almeidão, sem grandes sustos.

Contra o ABC-RN, a luta mesmo foi para desengasgar do gosto amargo de um jejum de seis jogos sem vencer. Diante do Santa Cruz-PE, em duas bolas paradas, Marcos Aurélio resolveu para o time da estrela vermelha, além de um pênalti perdido por Nando.

Ante o líder do Grupo A, Leandro Kível saiu do banco de reservas para empurrar a bola que sobrou de bandeja, dentro da área, após rebote do goleiro Ruan. Os três pontos vieram para consolidar a boa fase vivida do clube Maravilha do Contorno, alimentando, ainda mais, a avidez pelo acesso à segunda divisão. “O Piza pegou um elenco forte, e nós abraçamos o trabalho dele. Estamos mostrando isso a cada jogo”, relatou Carlos Renato, após a vitória do último domingo.

A defesa parece ter se afinado na competição. Nos últimos sete jogos, apenas quatro gols sofridos. Dois deles, marcados acidentalmente por jogadores do próprio Botafogo. Desde que Piza assumiu, foram cinco partidas sem sofrer gols. Júnior Lopes virou peça importante no time titular. Desde que tinha chegado ao time, sob o comando de Leston Júnior, não havia somado minutos em campo.

Com Piza, o cenário é totalmente inverso. Com presença cativa na zaga, ao lado dele, já foram testados Walber, Lula e Gladstone. Este último, desde que voltou de contusão, vem formando a dupla de zaga titular botafoguense ao lado do camisa 21.

Não é de hoje que as laterais tem sido um setor escasso de destaque no Botafogo-PB. Nesta temporada, não tem sido diferente. Só agora que as coisas se endireitaram e passaram a operar de forma positiva. Gedeílson do lado direito. Fábio Alves do lado esquerdo. Desde as suas primeiras atuações, Gedeílson merecia um olhar mais atento. De velocidade apurada, sempre se destacou pela agressão ofensiva.

Agora, surpreende também defensivamente, ajudando Gladstone do lado direito do setor defensivo. “O Piza teve o privilégio de assumir nesta reta final. Nas circunstâncias que a gente estava, a gente já se cobrava bastante. Claro que a mudança de comando deu um gás a mais ao elenco. Tem acrescentado bastante na nossa entrega”, disse Gedeílson.

Nenhum comentário