Header Ads

CMCG

Vereadores de Cabedelo não querem que prefeito afastado volte ao cargo, caso seja solto nesta segunda pelo TJPB




O afastamento de Leto, ontem, foi baseado em petição apresentada pelo presidente do Diretório Municipal do Psol em Cabedelo, Marcos Patrício. O partido solicitou a resolução que determina a suspensão das funções dos denunciados que estão enfrentando um processo de cassação na Casa.
Leto Viana está preso no xadrez do 5º Batalhão da Polícia Militar, no bairro Valentina de Figueiredo, em João Pessoa. Ele foi preso pela Polícia Federal, no primeiro dia da Operação Xeque-mate, no dia 3 de abril deste ano. Leto pode ser solto, caso o Tribunal de Justiça conceda a liberdade ao mesmo, na próxima segunda-feira, quando os desembargadores apreciarão o Agravo Interno nos autos da Medida Cautelar de Busca e Apreensão, dentro da Operação Xeque-mate.
O relator é o desembargador João Benedito da Silva. A resolução apresentada na Câmara pelo presidente do Psol foi incluída no expediente da sessão ordinária da Casa, com pedido de urgência-urgentíssima, e foi aprovada pela maioria.Os vereadores de Cabedelo resolveram se antecipar a um possível retorno de Leto Viana (PRP), e o afastaram, junto com o vice-prefeito Flávio Oliveira do mandato. Os parlamentares temem que Leto possa ser solto nesta segunda-feira (11) e tente voltar ao mandato de prefeito, que hoje é exercido pelo vereador Vitor Hugo (PRB).

Nenhum comentário