Header Ads

CMCG

CR7 erra pênalti, Portugal empata com Irã e perde liderança no fim do jogo



Portugal só empatou por 1 a 1 com o Irã nesta segunda-feira (25), avançou para as oitavas no segundo lugar do grupo B e terá o Uruguai como adversário na próxima fase da Copa do Mundo. Quaresma abriu o placar, mas Cristiano Ronaldo perdeu pênalti e viu Ansarifard empatar nos minutos finais.
A seleção espanhola ficou na primeira colocação da chave graças ao próprio empate por 2 a 2 com o Marrocos, e ao tropeço de Portugal contra o Irã. Os dois jogos ocorreram no mesmo horário. Deste modo, os espanhóis enfrentarão a Rússia, segunda colocada do grupo A.
O gol de empate do Irã foi marcado aos 47 do segundo tempo, em pênalti apitado com o auxílio do árbitro de vídeo (VAR). Para se ter ideia do tamanho da reviravolta, Portugal ia confirmando a primeira posição do grupo antes de Ansarifard converter a cobrança, mas tudo mudou com o placar de 1 a 1 e o empate espanhol, que saiu quase simultaneamente também com o auxílio do VAR.
O confronto entre Uruguai e Portugal acontece no sábado de 30 de junho, em Sochi, às 15 horas (de Brasília). No dia seguinte, 1º de julho, a Espanha enfrenta a anfitriã Rússia às 11h.

O melhor: Quaresma


Hector Vivas/Getty Images
Imagem: Hector Vivas/Getty Images









Portugal demorou para conseguir se virar no ataque sem seu principal astro, mas Quaresma encerrou a dependência por Cristiano Ronaldo aos 44 do primeiro tempo. Tabelou bonito com Adrien Silva e encaixou um belo chute de trivela, sua característica, para abrir o placar. O gol não teve participação direta do melhor atleta do mundo, mas contou com grande comemoração dele.
Antes do gol, a equipe não pensava muito antes de entregar a bola para Cristiano Ronaldo mesmo em cobranças de falta, como João Mario fez aos 16 do primeiro tempo. O problema é que o camisa 7 não esteve tão inspirado como nos dois primeiros jogos e perdeu até pênalti.

O pior: Cristiano Ronaldo


Clive Brunskill/Getty Images
Imagem: Clive Brunskill/Getty Images









Mesmo com a ajuda do árbitro de vídeo, esta não foi a tarde dele. Quando o mundo já questionava a atuação do craque, que passou em branco pela primeira vez nesta Copa do Mundo, ele próprio sofreu um pênalti no início do segundo tempo, apitado com o auxílio do VAR.
No entanto, Cristiano Ronaldo chutou em cima de Beiranvand e desperdiçou a cobrança. Se tivesse feito o gol, teria se igualado ao inglês Harry Kane na artilharia do torneio com cinco gols.
Mas, como não o fez, encerrou uma série de sete pênaltis convertidos em sequência. Para piorar, quase foi expulso por falta sobre Pouraliganji, mas o árbitro escolheu apenas o amarelo após revisar a imagem na tela do VAR.

Do banco à glória

Ansarifard entrou no time do Irã aos 32 minutos do segundo tempo, no lugar de Ezatolahi, e fez com que sua equipe se despedisse da Copa do Mundo com a cabeça erguida. Ao contrário de Cristiano Ronaldo, bateu muito bem o pênalti aos 47 e empatou a partida.
A penalidade em questão foi cometida por Cedric, que colocou a mão na bola dentro da área. A exemplo do pênalti marcado a favor de Portugal, o árbitro Enrique Caceres também precisou consultar as imagens antes de confirmar a infração.

O criticado João Mario


Hector Vivas/Getty Images
Imagem: Hector Vivas/Getty Images









Nas redes sociais, torcedores portugueses escreveram que João Mario parecia estar jogando com tijolos presos aos pés. Além de Cristiano Ronaldo e Quaresma, foi o único português que teve chance de marcar, mas isolou a bola aos 8 minutos e deixou de aproveitar uma bobeada da zaga.

O melhor ataque é a defesa


Clive Mason/Getty Images
Imagem: Clive Mason/Getty Images









Ciente de sua inferioridade técnica em um grupo forte, a seleção iraniana teve como principal arma nesta Copa o seu sistema defensivo e a capacidade de explorar os erros de marcação dos adversários. Aos 22 do primeiro tempo, por exemplo, o goleiro Rui Patricio teve de se antecipar para evitar o gol de Jahanbakhsh.

Paciência portuguesa


Clive Brunskill/Getty Images
Imagem: Clive Brunskill/Getty Images









Os contra-ataques do Irã não pareciam ser motivo de tanta preocupação para Portugal no início do jogo, mas passaram a ser depois de alguns sustos. Após a marca dos 30 minutos do primeiro tempo, a seleção de Fernando Santos parou de atacar com muita intensidade para não se expor demais na defesa.
Paciência, bola tocada de pé em pé e pouquíssimas jogadas aéreas. Assim ficou o jogo de Portugal, que, do outro lado, encontrava uma defesa bem montada e indisposta a dar espaço. Faltava aos portugueses uma jogada de dribles e infiltração ou um chute de longa distância, algo que só CR7 ousou fazer antes do gol de Quaresma.

Não o deixaram dormir


Clive Mason/Getty Images
Imagem: Clive Mason/Getty Images









A torcida do Irã se reuniu nos arredores do hotel de Portugal e tentou prejudicar o sono de Cristiano Ronaldo, que foi à janela do quarto e gesticulou para pedir silêncio, mas não conseguiu calá-los. Difícil dizer se a algazarra iraniana o atrapalhou, mas o craque esteve longe do brilho que mostrou nos primeiros 180 minutos da Copa.

Uol

Nenhum comentário