Header Ads

CMCG

Campinense e Treze fazem 404º duelo em confronto que pode determinar o futuro dos Maiorais no Estadual


Será um jogo de arrepiar. Um teste de cardíaco que deve acirrar ainda mais uma rivalidade histórica que atravessa meio século. O confronto 404 da história do Clássico dos Maiorais, programado para às 16h deste domingo no estádio O Amigão, terá clima de decisão. O Campinense é o líder do Grupo A do Campeonato Paraibano com 20 pontos, enquanto que o Treze também lidera o Grupo B com 14 pontos.


Os dois clubes estão classificados para a próxima fase da competição, mas ainda não garantiram a primeira colocação do Grupo, que leva direto para as semifinais e assegura a vantagem na decisão. Um empate pode complicar a vida dos Maiorais. Caso não consiga vencer a Raposa, o Galo correrá o risco de ser ultrapassado pelo CSP, que tem 12 pontos, e teoricamente tem uma partida menos difícil neste domingo. A situação do rubro-negro é a mesma. Um novo revez diante do rival, beneficiará o Botafogo (PB), que só precisará vencer o Atlético de Cajazeiras para assumir a ponta.

Essa matemática, torna o Clássico dos Maiorais dramático, visto que uma derrota ou empate, pode comprometer o futuro de Galo ou Raposa no paraibano, e interromper o sonho do título estadual. Os dois clubes já se enfrentaram esse ano. No primeiro duelo,válido pela 5ª rodada, o Treze levou a melhor, e venceu o rival por 1 x 0.

Só que agora, a realidade é outra. O momento é bem diferente, e a pressão pela permanência na ponta da tabela, aumenta a vontade dos dois clubes de vencer o duelo. As mudanças em relação ao primeiro clássico do ano, começa pelo beira do campo. Ambos têm treinadores recém-chegados após as demissões de Celso Teixeira no Rubro-Negro e de Oliveira Canindé no Alvinegro. Pelo Treze, Flávio Araújo comanda o segundo jogo, enquanto Ruy Scarpino estreia pelo Campinense. Com novas maneiras de armar as equipes, os dois vão fazer o primeiro Clássico dos Maiorais de suas carreiras.

Os dois times também estão reforçados. Uma das novidades do alvinegro é o lateral direito Alex Travassos. No rubro-negro, o atacante Robinho, foi finalmente regularizado e está apto para estrear.

O Campinense teve uma semana conturbada a com a demissão do técnico Celso Teixeira e do Gerente de Futebol Marquinho Marabá. O técnico Ruy Scarpino fez mistério quanto a escalação do time que começará de primeiro. O que se sabe é que os atacantes Robinho e Matheus Ortigoza, recém-chegados ao clube, estão regularizados junto à CBF e podem fazer a sua estreia com a camisa vermelha e preta

A Raposa aposta na força quase total do elenco e com a torcida rubro-negra para superar o Galo. Além disso, o esquema tático do time é uma incógnita para o lado Alvinegro. Na lateral esquerda, por exemplo, que vinha sendo ocupada pelo zagueiro Rafael Araújo, improvisado, deve entrar Romarinho. Ou mesmo Weslley. Os dois laterais-esquerdos de origem foram contratados recentemente, já estão regularizados e à disposição.
A escalação e as posições dos jogadores em campo será um fator surpresa.

Para esse jogo decisivo, o técnico Ruy Scarpino  o atacante Rodrigo Silva, que está com o joelho direito imobilizado e fora de combate por mais 80 dias. O meia Jean Carlo, com uma lesão no tornozelo esquerdo, e o zagueiro Rafael Araújo, com uma lesão no dedo do pé direito, estão entregues ao departamento médico e são dúvidas.

No Treze, o técnico Flávio Araújo estreou com derrota em jogo válido pela nona rodada do Paraibano, contra o Sousa e vai para a última rodada da primeira fase do estadual preparado para uma verdadeira final, já que precisa vencer para manter a situação confortável.
Os alvinegros não terão vida fácil enfrentando o Campinense, time de melhor campanha da competição
Marcelinho Paraíba, Tininho, Reinaldo Alagoano e Marcelinho estão entregues ao departamento médico e são dúvidas para o jogo. Para superar esses desafios, o treinador vai contar com três reforços: o lateral-direito Alex Travassos (já regularizado), o também lateral-direito Talisson e o atacante Leilson, récem-chegados à equipe (e ainda pendentes de regularização).
O zagueiro Fernando Lopes deve entrar de primeira.
Em campo estarão 36 títulos estaduais, sendo 21 conquistados pela Raposa contra 15 pelo Galo. O rubro-negro também carrega em seu histórico de conquistas, o título da Copa do Nordeste 2013. A partida, válida pela 10ª rodada do Estadual

Historicamente, Treze e Campinense sempre fizeram um jogo muito disputado, e em muitos jogos, decididos no detalhe. As estatísticas são favoráveis ao alvinegro em mais de 50 anos de uma rivalidade histórica.
Dos 404 confrontos, o Treze venceu 137 vezes, contra 107 do Campinense. O Clássico dos Maiorais já terminou empatado 160 vezes.

Na artilharia dos Maiorais, a vantagem também é trezeana: até agora, são 496 gols a favor do Alvinegro, contra 447 para o Rubro-Negro. Já com relação a número de títulos conquistados em cima do rival, a vantagem é da Raposa, que ganhou oito campeonatos paraibanos em cima do Treze, sendo que só perdeu três finais para o Galo.

A rivalidade entre Campinense e Treze pode ser medida em jogos válidos pelo Campeonato Paraibano. Até o momento, os dois clubes se enfrentaram 228 vezes no Estadual. A vantagem também é do Treze. Ao todo, o Galo venceu 73 partidas, contra 69 triunfos da Raposa.

A rivalidade entre Campinense e Treze no Paraibano, se mede no número de empates. Os dois terminaram a partida em igualdade no placar 96 vezes.  O Galo marcou 255 gols conta 241 da Raposa.

Ficha técnica:

Campinense - Jefferson, Alex Murici, William Goiano, Rafael Jensen e Jackinha; Neto, Felipe Macena, Marcinho e Thiago Potiguar; Muller Fernandes e Robinho (Marcelo)
técnico Ruy Scarpino 

Treze - Saulo, Ferreira, Júlio Machado, Peterson e Caíque; Alberto, Elielton (Edinho Canutama), Guto e Fábio Neves (Júlio Barboza); Ceará (Dedé) Tozin
técnico Flávio Araújo


Pbagora

Nenhum comentário