Header Ads

Presidente do PPS pode abdicar do posto por Cássio

Dirigente estadual de legenda confessa que pode abdicar do posto em troca da filiação de Cássio Cunha Lima; “Não tenho apego nenhum à presidência”

O dirigente ressalta que não será empecilho para o ingresso do ex-governador na sigla

O presidente estadual do PPS José Bernardino da Silva garantiu, na manhã desta quinta-feira (25), que não vai impor nenhuma barreira caso o ex-governador Cássio opte por compor os quadros do partido, mesmo que isso custe sua queda como líder do grupo. Questionado se abdicaria da presidência em prol do “novato”, caso essa seja a condição para sua filiação, Bernadino não titubeou: “Não tenho vaidade nenhuma pelo cargo”.

Segundo o dirigente, sua permanência na função é fruto apenas da satisfação atual de seus pares. “Caso resolvam que não devo permanecer no posto, acatarei sem problema algum. Não tenho apego à presidência”.

Sobre um possível mal-estar que a chegada de Cássio traria (pois poderia mudar radicalmente a estrutura administrativa da legenda), Bernardino  tratou de descontruir a especulação, afirmando que o senador eleito seria muito bem-vindo ao grupo, muito embora duvide que isso aconteça.

Lembrando que o convite para o tucano compor o PPS da Paraíba já existe desde a época em que ainda planejava sair candidato a senador, José Bernardino confessou o motivo de sua descrença: mesmo que queira, Cássio não pode abandonar o PSDB, sob pena de incorrer em infidelidade partidária.

“A única forma de poder se filiar a outro partido é ter seu registro de candidatura cassado e perder o direito de assumir o Senado. Sinceramente não torço por isso”, afirmou.

Pela paz

Sobre as divergências que permeiam o ninho tucano na Paraíba, entre o grupo de Cícero e de Cássio, o dirigente mostrou que torce por um solução conciliadora, que permita a permanência das duas lideranças juntas na mesma legenda.


PB Agora

Nenhum comentário