Aumento de 46% para prefeito, vice e secretários de SP é aprovado na Câmara



O aumento dos salários do prefeito, do vice e dos secretários da capital paulista foram aumentados em 46,6% em uma segunda e definitiva votação, que aconteceu na Câmara de Vereadores hoje. Ao todo, foram 34 votos a favor e 17 contra, com uma abstenção. Agora, o projeto segue para ser sancionado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB).

O salário atual de Covas é de R$ 21.175 e, com o reajuste, sobe para R$ 35.462. O vice-prefeito terá um reajuste de 47%, enquanto os secretários terão um aumento de quase 53% em São Paulo.

A primeira votação aconteceu na segunda-feira (21), às 12h, na Câmara Municipal. O reajuste aprovado hoje, caso seja sancionado, passa a valer a partir de 2022.

O último aumento dado ao prefeito, vice e secretários foi há oito anos. No dia da primeira votação, o líder do governo na Câmara, vereador Fábio Riva (PSDB), disse ao Estadão que o reajuste seria uma "reposição inflacionária" que ajudaria no "bom andamento da administração pública".

Manobra para colocar o projeto em pauta

A votação do projeto que reajusta o salário do prefeito, do vice e dos secretários foi realizada por meio de uma manobra conhecida como "cavalo". Nela, um texto é usado para que outro seja colocado em votação. O texto que foi usado como base foi um projeto que permitia o aumento de 2,8% nos salários de alguns servidores do Legislativo, parado desde 2018.

O texto foi colocado em votação sem que o novo projeto passasse pelas comissões de Constituição e Justiça, Administração Pública e Finanças. Dessa maneira, não foi analisado o impacto financeiro da medida e mensurado o quanto a folha de pagamento vai crescer após a decisão.


uol

Nenhum comentário