Header Ads

Morte de cantora Gospel vira caso de preconceito no Twitter


A triste morte da cantora gospel Fabiana Anastácio foi sentida pelos evangélicos, repercutindo em diversos sites de notícias. Anastácio acabou sendo vítima da covid-19, após ser internada e encaminhada para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) em São Paulo.

No Twitter, pessoas usaram a morte da cantora para espalhar preconceito após a notícia ser compartilhada na conta do portal de notícias da Globo, o G1. Muitos fizeram comentários cristofóbicos, debochando da morte da cantora, que ficou conhecida pelos louvores pentecostais, como “Sou Eu” e “Adorarei”.

Um dos usuários atacou a igreja, ironizando as curas espirituais e afirmando que a “doença veio pra acabar de vez com essa extorsão através da fé alheia”.

“As sessões de cura de doenças das igrejas está parada por causa de uma doença”, continuou.

Outro perfil, de uma partidária do Partido dos Trabalhadores (PT), debochou da cantora usando o mal exemplo do apóstolo Valdemiro Santiago, que recentemente vendeu sementes afirmando que elas poderiam curar a covid-19.

“Não comeu o feijão do Valdomiro e nem tomou água do R.R. Soares”, criticou o perfil que se identifica como Lucia Lula, conexão petista.

Muitos usuários rebateram as críticas e questionaram a hipocrisia na rede social, lembrando até que há pouco tempo muitos estavam apoiando os movimentos contra o racismo, mas apesar de a cantora ter a pele negra, pelo fato de ela ser evangélica, estavam desrespeitando sua morte.

A usuária Marilia With disse que sentia nojo pela hipocrisia daqueles que estavam atacando a cantora, fazendo uma comparação caso a notícia fosse apenas “cantora morre”, ao invés de “cantora gospel morre”.

Haviam comentários pejorativos sobre a obesidade da cantora, sua aparência e até rotulando os evangélicos de “alienados”.

Para cada comentário crítico surgiram muitos outros rebatendo os ataques, pedindo tolerância e respeito com os cristãos. Algumas ofensas foram sendo banidas pelo Twitter à medida que os usuários denunciaram.

A fotógrafa e designer Becca Gueller também comentou sobre a hipocrisia e o preconceito contra os cristãos, afirmando que os ataques são promovidos pelos mesmos que dizem lutar contra a “intolerância”. Becca taxou de “hipócritas” os militantes.



Fonte: O Verbo

Nenhum comentário