Header Ads

Inflação oficial de abril recua ao menor patamar mensal em 22 anos




Os preços de bens e serviços no país tiveram deflação em abril e, com isso, a inflação oficial atingiu o menor patamar mensal em quase 22 anos, de acordo com o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), divulgado nesta sexta-feira (8) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Em abril, a taxa ficou em -0,31%, o menor nível já registrado desde agosto de 1998, quando ficou em -0,51%. Na prática, os preços diminuíram.  

O resultado foi puxado pela queda no preço dos combustíveis (-9,59%), que ficaram mais baratos por causa da pandemia do coronavírus. Devido ao isolamento social adotado em diversas cidades do país para conter o avanço do vírus, a demanda por gasolina, diesel e etanol caiu e, com isso, os preços foram impactados. 

O gerente da pesquisa, Pedro Kislanov, afirma que a gasolina foi o principal combustível com queda de preços. No período de coleta de dados do IBGE, houve dois anúncios de diminuição no preço da gasolina: no dia 28 de março, de 5%, e no dia 20 de abril, de 8%.

Na contramão dos combustíveis, os preços dos alimentos ficaram mais caros em abril. A alimentação no domicílio, que havia aumentado 1,4% em março, subiu 2,24% em abril. Os destaques foram as altas da cebola (34,83%), da batata-inglesa (22,81%), do feijão-carioca (17,29%) e do leite longa vida (9,59%). Já as carnes ficaram mais leves no bolso pelo quarto mês consecutivo. 

"Há uma relação da restrição de oferta, natural nos primeiros meses do ano, e do aumento da demanda provocado pela pandemia de covid-19, com as pessoas indo mais ao mercado, cozinhando mais em casa", disse Kislanov.

A inflação para a alimentação fora de casa também acelerou no período, influenciada pela alta do lanche. 

De janeiro a abril de 2020, a inflação oficial acumula alta de 0,22%. Nos últimos 12 meses, de 2,4%. 

Metodologia da pesquisa

O IBGE informa que o índice foi calculado comparando os preços coletados no período de 31 de março a 29 de abril de 2020 (referência) com os preços vigentes no período de 3 a 30 de março de 2020 (base).

Por causa da pandemia, a coleta está sendo feita por pesquisas realizadas em sites, por telefone ou por e-mail.

R7

Nenhum comentário