Header Ads

Estudo israelense sugere que ‘lockdown’ (bloqueio) não afeta ciclo do coronavírus, diz presidente da Agência Espacial Israelense



A análise de novos gráficos e comparações internacionais relacionadas ao coronavírus chinês sugere que ordens de “Fica em casa” e bloqueios (lockdown) não afetam o ciclo do coronavírus chinês, que é de cerca de 8 semanas, explicou o professor e presidente da Agência Espacial de Israel, Isaac Ben-Israel, na segunda-feira (13).
À luz de suas descobertas, o conceituado PhD aconselhou Israel a começar a reabrir a economia imediatamente e voltar à plena capacidade até o final de abril, argumentando que Israel “pagará com mais vidas humanas com o sistema de saúde no país no estado atual”.
Segundo Isaac Ben-Israel, o país “já está nos estágios finais da epidemia de coronavírus”, detalhou o professor na segunda-feira, em uma reportagem do Israel National News.
“A incidência de pacientes era maior a cada dia”, explicou o professor. “Isso foi durante as primeiras 4 semanas após a descoberta da epidemia em Israel. A partir da sexta semana, o aumento no número de pacientes foi moderado, atingindo um pico na sexta semana em 700 pacientes por dia. Desde então, está em declínio e hoje existem apenas 300 novos pacientes. Em 2 semanas chegará a zero e não haverá mais novos pacientes.”
“É assim que ocorre em todo o mundo. Tanto em países onde eles adotaram medidas de fechamento como a Itália quanto em países que não tiveram fechamentos como Taiwan ou Cingapura”, enfatizou Ben-Israel. “Nesses países, há um aumento até da quarta a sexta semana e imediatamente depois há moderação e até a oitava semana desaparece.”
Ben-Israel baseou sua análise em “vários estudos gráficos para seus colegas, o professor Ziegler, do Technion, e Ronnie Yefarah, que o ajudaram a formular sua posição encorajadora”, observou o Israeli National News. Os dados são “inteiramente baseados em dados passados, sem tentar prever o que acontecerá no futuro”, segundo o professor.
“Isso está acontecendo tanto em países que fecharam como nós quanto naqueles que não fecharam até hoje como a Suécia, todos os países, independentemente da resposta. O declínio e o aumento ocorrem de acordo com o mesmo cronograma”, continuou Ben-Israel. “Está claro para nós como a epidemia está começando e o que está causando o aumento. O que está causando a moderação não está claro.”
“Proponho que encerremos os bloqueios imediatamente após a semana atual”, pediu o professor e presidente da Agência Espacial a Israel. “Começaremos a aumentar a força de trabalho de 15% para 50% e em 2 semanas chegaremos a 100%”.
Boas práticas devem continuar
O professor disse que as boas práticas de higiene devem continuar, assim como o uso de máscaras e a proibição de multidões excessivamente grandes, alegando que essa ação é prudente e prejudicará minimamente a economia.
“O que me incomoda são os danos à economia”, disse ele. “Estamos pagando 100 bilhões de NIS (Novo shekel israelensepor mês por causa desse fechamento. Isso também tem implicações para a saúde. Pagaremos com mais vidas humanas com o nosso sistema de saúde no estado atual. ”
Atualmente, Israel possui 9.781 casos ativos de coronavírus chinês e um total de 116 fatalidades.

Com informações, Daily Wire.

Conexão Política

Nenhum comentário