Header Ads

Projeto de extensão da UFPB oferta serviços de fisioterapia dermatofuncional

Um projeto de extensão da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) oferece à comunidade em geral, desde que seja pessoa de baixa renda, atendimento na área de fisioterapia dermatofuncional. A oferta do serviço será retomada a partir do dia 03 de fevereiro, com o término das férias e retorno das aulas. Contudo, os interessados já podem procurar se inscrever para participar de triagem.
O projeto Ambulatório em Fisioterapia Dermatofuncional é coordenado pela professora  Palloma Rodrigues de Andrade, do Departamento de Fisoterapia, do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da UFPB.
A fisioterapia dermatofuncional trabalha os distúrbios relacionais à pele e é indicada, por exemplo, para reabilitação de pessoas com queimaduras, cicatrização de feridas, tratamento de manchas na pele, de fotoenvelhecimento, de gordura localizada, de celulite e auxílio ao emagrecimento.
“O nosso projeto de extensão é uma associação da Nutrição com a Fisioterapia. No caso, as pessoas que vêm reduzir medidas, para emagrecer, elas têm o acompanhamento pela Nutrição. Lá fazem avaliação, prescrevem uma reeducação alimentar, e isso é associado ao atendimento fisioterapêutico para redução de medidas”, esclareceu a professora Palloma.     
Ela informou que as inscrições, este ano, já podem ser realizadas por meio das redes sociais da Liga de Estudos em Fisioterapia Dermatofuncional, pelo perfil no Instagram e no Facebook.
Basta solicitar, por mensagem, o formulário disponibilizado pela equipe, para que possa ser feita a avaliação e triagem, de acordo com a disponibilidade de vagas e prioridades de atendimento. Após o retorno das férias na UFPB, a ficha de inscrição também pode ser solicitada por meio do telefone (83) 98657-9025.
O número de sessões necessário para o tratamento é definido de acordo com a avaliação de cada paciente. “É feita uma avaliação com as pessoas interessadas, esses atendimentos são feitos por prioridade, por exemplo, se o paciente é uma pessoa que tem queimadura, ferida, tem prioridade, por questão de saúde e urgência. Mas a dermatofuncional trabalha também com a parte de fotoenvelhecimento, tratamento para rejuvenescimento, celulite, gordura localizada. Então, a pessoa vai colocar na ficha qual é a sua queixa, é feita uma triagem e então vão chamando de acordo com as vagas que vão aparecendo”, orientou a coordenadora do projeto. O número de atendimentos é limitado devido à quantidade de leitos e de terapeutas.
A professora Palloma lembrou, ainda, que o Mestrado em Fisioterapia também oferece vários serviços à comunidade, dentro de pesquisas realizadas no curso, visando à captação de amostras.
Ascom/UFPB

Nenhum comentário