Header Ads

Réus da Operação Laços de Sangue vão a julgamento em Campina Grande

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba, em sessão realizada nessa terça-feira (3), deferiu, por unanimidade e em harmonia com o parecer ministerial, pedido do Ministério Público estadual para desaforar o julgamento dos réus Grimailson Alves de Oliveira e Maria Lemos da Silva para a Comarca de Campina Grande.
O relator do pedido de desaforamento nº 0805966-53.2019.815.0000, oriundo da 1ª Vara da Comarca de Catolé do Rocha, foi o desembargador Arnóbio Alves Teodósio.
Em seu pedido, o representante ministerial aludiu que o desaforamento tem como fundamento o resguardo da ordem pública, além de ser uma medida que se impõe, haja vista a existência de dúvida quanto a imparcialidade do Corpo de Jurados, uma vez que se trata de conflito de famílias que representam a sociedade de Catolé do Rocha, as quais exercem grande influência sobre a comunidade local.
O relator do processo, ao deferir o pedido ministerial, entendeu que “havendo fatos objetivos que autorizam fundada dúvida sobre a imparcialidade dos jurados, bem como que em ocorrendo o julgamento dos réus no Juízo de origem ou nas comarcas circunvizinhas, haverá o comprometimento de forma aguda e séria da paz e da tranquilidade na comunidade local, é de se deferir o pedido de desaforamento formulado pelo Ministério Publico”.
Entenda o caso
A operação Laços de Sangue é decorrente de desavenças existentes entre a família Oliveira – residente no Estado de São Paulo – e a família Oliveira residente na Comarca de Catolé do Rocha, bem como pelas famílias Veras e Suassuna, que culminaram em uma série de homicídios com grande repercussão na mídia nacional.

Nenhum comentário