Header Ads

Burocracia pode atrasar entrega das casas do Aluízio Campos, diz Romero


A entrega das casas e apartamentos do Complexo Aluízio Campos, em Campina Grande, poderá ser adiada. A inauguração prevista para acontecer no próximo dia 11 de Outubro, aniversário da cidade, pode ser retardada por conta de procedimentos burocráticos junto à Receita Federal e ao Banco do Brasil. A informação foi dada pelo prefeito Romero Rodrigues, na manhã desta segunda-feira (23).
“Nós continuamos trabalhando com essa data, dia 11 de outubro, mas já com a perspectiva de que a burocracia pode atrasar”, assinalou Romero, acrescentando que até a última sexta-feira a Certidão Negativa de Débitos (CND) da obra ainda não havia sido liberada pela Receita Federal para a construtora que executou os serviços. Somente após a liberação desse documento é que o Banco do Brasil poderá dar início à elaboração dos contratos.
Antes de serem entregues, os 4,1 mil imóveis também precisam passar por um processo de averbação em cartório. “E todos esses trâmites burocráticos demandam tempo. A gente concluiu nossa parte totalmente, que foi a parte física. Mas estamos a depender dessas questões e só iremos entregar quando estiver tudo regularizado”, explicou o prefeito.
O Aluízio Campos
A obra do Aluízio Campos teve início em 2015. O Complexo possui 4,1 mil imóveis, entre casas e apartamentos, além de creches, postos de saúde e praças públicas. Os serviços passaram pelas gestões de três presidentes: Dilma Rousseff (PT), Michel Temer (MDB) e, agora, Jair Bolsonaro (PSL). No total foram investidos cerca de R$ 330 milhões no Complexo, sendo a maior parte dos recursos do Governo  Federal.

jornaldaparaiba

Nenhum comentário