Header Ads

CMCG

Polícia investiga golpe de casa de câmbio em mais de 150 vítimas, em Campina Grande


Mais de 150 pessoas podem ter sido vítimas de um golpe em um casa de câmbio, em Campina Grande. De acordo com Boletins de Ocorrência registrado na Polícia Civil, as vítimas compravam moedas internacionais ao responsável pelo estabelecimento, a empresa recebia o pagamento, mas não realizava a entrega dos valores. Na manhã desta quinta-feira (22), várias vítimas se reuniram e foram até a Central de Polícia Civil da cidade para denunciar o caso.

Conforme os relatos das vítimas à polícia, o dono da casa de câmbio oferecia as moedas internacionais por um preço menor que o de mercado. Após sofrerem o golpe, essas pessoas começaram a conversar entre si e descobriram que já havia sido mais de 150 vítimas enganadas pelo homem, chegando a um prejuízo de cerca de mais de R$ 3 milhões.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Defraudações de Campina Grande, Gerônimo Barreto, o caso está sendo investigado como um crime de estelionato. “O crime é configurado como estelionato porque, a partir do momento em que ele [suspeito] ligou oferecendo moeda internacional a preço menor que do mercado, ele sabia que ia quebrar a empresa e mesmo assim oferecia algo que não iria cumprir com os clientes”, explicou.

Ainda de acordo com o delegado, até esta quinta-feira (22) só existiam três Boletins de Ocorrência na Polícia Civil de Campina Grande sobre o golpe. “Hoje apareceram muito mais pessoas relatando serem vítimas dessa casa de câmbio aqui na cidade e com certeza deve aparecer mais gente ainda. Então a gente vai ouvir todo mundo, ouvir os áudios e mensagens trocados durante as negociações, pra só de fato identificar quais crimes esse homem pode estar enquadrado”, informou.

Em depoimento à TV Paraíba nesta quinta-feira, umas das pessoas que estava na Central de Polícia Civil para formalizar a denúncia em conjunto com outras vítimas, contou que o dono da casa de câmbio recebia o pagamento e prometia entregar as moedas internacionais em um prazo de 15 dias. “Ele [responsável] pegava o nosso dinheiro e prometia entregar as moedas em até 15 dias, às vezes em um ou dois meses depois, mas quando a gente procurava por ele, ele sumia, isso aconteceu com todo mundo aqui”.

Conforme o relato de outra vítima, o dono da casa de câmbio era conhecido e tinha a confiança dos clientes. “Ele pegava o dinheiro do pessoal, prometia fazer a entrega da moeda, ele ganhou a confiança do mercado, a gente confiava nele. Mas aí todo mundo foi relatando a mesma coisa: ele prometia e depois desaparecia”, contou.


G1

Nenhum comentário