Header Ads

CMCG

Justiça acata denúncia do MP e torna empresário e motorista réus envolvidos no assassinato de radialista em CG


A Justiça recebeu a denúncia do Ministério Público Estadual e tornou réu por homicídio o empresário Roberto Vicente Correia do Monte. Ele é acusado de matar o radialista Joacir Oliveira Filho, de 34 anos, no dia 30 de maio, em um restaurante, no Centro de Campina Grande. Também foi denunciado por participação no crime Mário Lúcio de Oliveira, motorista do empresário.

Na denúncia, o MPPB pede que Roberto Vicente seja pronunciado a júri e julgado pelo Conselho de Sentença. O empresário foi indiciado por homicídio pela delegada da Polícia Civil, Suelane Guimarães.

O juiz do 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Campina Grande, Bartolomeu Correia Lima,  ao analisar o inquérito, reconheceu a existência de indícios de autoria do crime, além de provas da sua materialidade. Como o magistrado aceitou a denúncia, foi iniciada a ação penal e o acusado passou a ser considerado na condição de réu.

Audiência 

Bartolomeu vai determinar a citação do réu, que tem de apresentar sua defesa preliminar, por meio de resposta escrita, no prazo de 10 dias. Na sequência, o juiz ouvirá o Ministério Público sobre possíveis questões preliminares ou documentos apresentados.

O passo seguinte é a realização da audiência de instrução, oportunidade em que juiz ouvirá testemunhas da acusação e da defesa. Esclarecimentos de peritos e acareações também podem ser feitos nesta fase. Por fim, o réu é interrogado e, em seguida, a acusação e a defesa apresentam alegações finais.

Se o juiz Bartolomeu Correia Lima decide pela pronúncia do réu, ele admite a acusação feita e encaminha o processo para julgamento pelo Tribunal do Júri. Nesta decisão, o mérito é analisado de forma breve. Além disso, vigora o princípio “in dubio pro societate”, ou seja, em caso de dúvida, a favor da sociedade o magistrado deve levar o processo ao júri popular.

Identificado por câmeras

Roberto Vicente foi identificado, através das câmeras de segurança que flagraram o crime. As imagens mostram que o empresário e o radialista se encontraram no restaurante no centro de Campina Grande. Eles se abraçam e depois começam a beber juntos. Depois, Roberto vai ao banheiro, paga a conta dele e do radialista e, em seguida, volta já atirando com uma pistola. A vítima ainda foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no caminho do hospital.

O empresário foi preso no dia seguinte ao crime. Após a audiência de custódia, seguiu para a Penitenciária do Serrotão. Depois, foi transferido para Presídio Hitler Cantalice, em João Pessoa, onde está recolhido preventivamente.



ParaíbaTodoDia

Nenhum comentário