Header Ads

CMCG

Em 2018 Sesuma aumenta coleta de resíduos sólidos em mais de 10% e mantém ações de construção e recuperação da malha viária, de praças e a pavimentação de ruas


Em 2018 o serviço de coleta de resíduos sólidos aumentou em mais de 10% com relação ao ano anterior. Os números comprovam que o volume de obras e ações, desenvolvidas no ano passado pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma), foi tão intenso quanto os cinco primeiros anos da primeira gestão do prefeito Romero Rodrigues em Campina Grande. Foi alcançada a média histórica de quase 224 mil toneladas, só ficando atrás de 2014, quando passou de 234 mil. Para se ter ideia da dimensão desse trabalho, ultrapassa 1 milhão e 282 mil toneladas retiradas das ruas da cidade em todo o governo.
 
A média mensal chega a 18 mil toneladas, com destaques para a coleta do lixo domiciliar, de ponto, feiras, mercados, caixas estacionárias e terrenos baldios, que continua sendo utilizado de forma indevida pela população, mesmo com  a passagem dos carros coletores acontecendo três vezes por semana.
 
Durante mês de junho, por conta do evento Maior São João do Mundo, foram recolhidas quase 25 mil toneladas, com a coleta especial em toda área do Parque do Povo, além de 20 toneladas de resíduos sólidos recicláveis, estes recolhidos pelo Projeto Recicla São João, trabalho que se tornou contínuo.


Outra atividade permanente, desenvolvida pela Sesuma, é a de recuperação da malha viária, conhecida como operação tapa-buracos. Esse trabalho é realizado com a reposição de pavimentação em pré-misturado a frio (asfalto), 27.680 m² ou em paralelepípedo, 1.163 m².  Só nesta atividade, nos seis anos da gestão Romero, foram mais de 337 mil m².
 
Segundo o secretário municipal de Serviços Urbanos e Meio Ambiente, Geraldo Nobre Cavalcante, o prefeito Romero Rodrigues delegou também à Sesuma a responsabilidade com a construção e a recuperação de praças e pavimentação de ruas, atividades que antes só eram realizadas pela Secretaria de Obras.
 
Pela Sesuma, em 2018, foram quase 58 mil m² em pavimento e quase 400 mil m², em seis anos, totalizando mais de 400 ruas, só em paralelepípedo. Já outras dezenas foram beneficiadas com asfalto pela Secretaria de Obras de Campina Grande. Nos seis anos da administração Romero Rodrigues, foram construídas e revitalizadas 38 praças e parques, a maioria com academia popular. No início deste ano quatro novas serão inauguradas: no conjunto Chico Mendes, bairro do Centenário, rua Damasco, 40 e Belo Monte, já praticamente concluídas.


De acordo com Geraldo Nobre, a iluminação pública também foi ampliada, com a implantação de lâmpadas em LED em várias avenidas da cidade. Até agora foram quase mil novos postes com luminárias em diversas localidades.
 
Outro número significativo está relacionado à quantidade de terraplenagem em estradas, ruas e avenidas. Em 2018, 498km, e 2.687km em todo Governo. Foram ainda 6 mil km em capinação de ruas e avenidas; 69.000 em varrição e 1.800, em pintura de meio-fio; sem falar no patrolamento em 100 campos de futebol.
 
Das ruas da cidade foram recolhidos 623 animais vivos e 175 mortos, além de realizada a limpeza de 51 pequenos e médios barreiros, atividade que antes era desempenhada pela Secretaria de Agricultura e que agora também está sob a responsabilidade da Sesuma. Os proprietários são notificados e multados.
 
MEIO AMBIENTE – O Meio Ambiente também mereceu a destaque ao longo de todo ano. Com a inauguração do seu viveiro de plantas, no bairro São Januário, a Sesuma efetuou o plantio de quase 30 mil novas mudas em toda a cidade, de 2013 a 2018. A intenção é plantar mais 20 mil mudas, nos próximos dois anos, e chegar a 50 mil, em função do déficit superior a 100 mil mudas, número agravado por conta do descaso de gestão passadas.


Outro destaque foi o recolhimento de pneus velhos, encaminhados para destinação ambientalmente adequada, por meio de convênio junto à empresa Reciclanip de São Paulo, que em três anos atingiu a marca de quase 85 mil.
 
Já foram 114 poços artesianos, beneficiando escolas, postos de saúde, mercados, comunidades rurais e os distritos de Catolé de Boa Vista, Galante e São José da Mata. Para esse trabalho, a Prefeitura de Campina Grande adquiriu uma máquina perfuratriz e pretende perfurar mais 100 poços nos próximos dois anos.

Nenhum comentário