Header Ads

CMCG

Duas cidades paraibanas têm PIB acima da média nacional


As cidades de Pitimbu, no Litoral, e São José de Espinharas, no Sertão, registraram as maiores variações no Produto Interno Bruto (PIB) entre os municípios paraibanos em 2016, na comparação com 2015. No mesmo ano em que o PIB do Brasil recuou 3,6%, a soma de todos os bens e serviços finais produzidos em Pitimbu cresceu 79,6% e, em São José de Espinharas, 61,4%. Os dados foram divulgados, ontem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.
O economista Pedro Dantas, secretário executivo da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), explicou que a economia de Pitimbu cresceu em decorrência ao aumento da arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). “A gestão municipal realizou um trabalho eficiente no controle e acompanhamento das mercadorias produzidas no território em 2016, conseguindo, assim, aumentar a arrecadação do imposto”, destacou.

Com isso, Pitimbu passou do 45º lugar, em 2015, com um PIB de R$ 153 mil, para a 22ª colocação, em 2016, elevando a soma da economia para R$ 275 mil. Segundo Dantas, já a cidade de São José de Espinharas foi beneficiada, em 2016, por créditos decorrentes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef). “A gestão municipal havia movido uma ação na justiça, cobrando recursos relativos ao Fundef, e o dinheiro foi liberado naquele ano. Ou seja, estamos falando de uma receita atípica”, explicou.

Com esse incremento na receita, São José de Espinharas saltou da 159º posição no ranking paraibano em 2015, com R$ 37,9 mil, para a 109º colocação, em 2016, com R$ 61,1 mil. Outras sete cidades da Paraíba apresentaram uma variação expressiva no PIB em 2016: Salgado de São Félix (+23,7%), Prata (+23%), Santa Terezinha (+22%), Caldas Brandão (21,7%), Zabelê (+20,7%), São José do Bonfim (+20,5%) e Alhandra (20%). “Apesar do resultado do Brasil em 2016, os municípios da Paraíba conseguiram dá uma guinada no crescimento econômico dentro de um estado que sempre viveu aquém da economia nacional”, ressaltou o secretario executivo da Famup.

Nenhum comentário