Header Ads

CMCG

Raíssa deixa base de Cartaxo e detona Fulgêncio: "Pense num secretário ruim, numa propaganda enganosa essa gestão"


A vereadora Raíssa Lacerda (PSD) resolveu reclamar do prefeito Luciano Cartaxo (PV) e do secretário de saúde, Adalberto Fulgêncio. O desabafo ocorreu durante entrevista a rádio Band News nesta segunda-feira (25) e deve repercutir na política paraibana. A vereadora deixou a base do governo Cartaxo na Câmara e detonou Cartaxo e seu fiel escudeiro Fulgêncio.
Raíssa declarou que o PSD foi usado, o senador Raimundo Lira (PSD) foi rifado e que Fulgêncio é um ditador e secretário ruim, no qual ela bate desde a legislatura passada. Ela acusou Adalberto de humilhar até o atual líder da base de Cartaxo na Câmara Municipal da Capital Milanez Neto (PTB), mas não deu detalhes.
"Pense num secretário ruim, que eu bato desde que ganhei, num PSF sem médico e nem dentista, uma propaganda enganosa essa gestão. Pense num povo mentiroso. As máscaras caem basta o tempo chegar. Em todos os bairros que passo os PSF não funcionam", desabafou Raíssa.
Raíssa explicou que Cartaxo adora rifar aliados e assim como fez com o falecido Luciano Agra, fez agora com Lira que acabou desistindo de figurar na chapa encabeçada pelo irmão do prefeito e pré-candidato ao Governo, Lucélio Cartaxo (PV).
"Cartaxo adora rifar aliados. Ele rifou Agra e agora rifou Lira. Lira desistiu porque foi rifado. Cartaxo queria a vaga para atrair mais partido para apoiar a pré-candidatura do irmão. Rômulo indicou Lira e Cartaxo subestimou nossa sigla. Rômulo e eu demos o partido para Cartaxo e assim como ele deixou o PT, nos deixou sem dar nem um 'tchau'. Eles nos usaram. Nos usaram para servir de cauda, de escada para tentar eleger os queridinhos deles para Câmara, mas não conseguiram. Eles não ajudaram ninguém na campanha e fizeram Marmuthe e professor Gabriel sofrer muito. Fulgêncio até humilhou Milanez Neto", explicou a parlamentar.

Nenhum comentário