Header Ads

CMCG

PELA 2ª VEZ: após morte de Rômulo, suplente Marcondes Gadelha assume a Câmara Federal


Com a morte repentina do deputado Federal Rômulo Gouveia ( PSD ) na madrugada deste domingo (13) em Campina Grande, o seu suplente Marcondes Gadelha (PSC) deve assumir o cargo nos próximos dias. Rômulo Gouveia foi eleito deputado federal com mais de 84 mil votos em 2014 na Coligação A Vontade do Povo formada pelo PSDB, PEN, PR, PTB, PSD, SD, PMN, PPS, PTdoB, PTN, PRB, PSDC, PSC e PP.
Pela segunda vez, o ex-senador Marcondes Gadelha (PSC) assume mandato na Câmara Federal por circusntâncias causadas após a morte de um deputado paraibano. Nas eleições de 2002, Marcondes , então no PFF, ficou na suplência  do deputado federal Adauto Pereira (PFL), que faleceu no dia 27 de dezembro de 2004, vítima de infarto fulminante. Diante do caso fortuito, Gadelha assumiu a titularidade do mandato na Câmara Federal, por mais de dois anos.
Em 2018 a cena se repete. Gadelha, agora no PSC, assume novamente a titularidade do mandato diante da mesma circunstância do destino: falecelimento do titular, e pela mesma causa. Rômulo Gouveia (PSD) e Adauto Pereira (PFL) vitimados por problemas cardíacos.
Marcondes Gadelha foi candidato a Deputado Federal pela Paraíba pelo Partido Social Cristão e não foi eleito. Obteve 60.435 votos (3.12%).
Marcondes Iran Benevides Gadelha nasceu em Sousa, localizada no sertão paraibano, formou-se em Medicina pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e iniciou a carreira política no final dos anos 60. Ao longo das décadas seguintes exerceu diversos cargos.
Já exerceu o cargo de deputado federal por seis legislaturas, nos períodos de 1971 a 1975, 1975 a 1979, 1979 a 19831999 a 2003, 2003 a 2007 e 2007 a 2011. Também exerceu o cargo de senador da república no período de 1983 a 1991. Em 2010, candidatou-se a primeiro suplente de senador na chapa de Wilson Santiago.
Em 1989, candidatou-se a vice-presidente, na chapa de Silvio Santos, pelo PMB. Mas o registro da chapa Silvio–Marcondes foi impugnado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por conta do cancelamento do registro do PMB, a pedido da campanha de Fernando Collor.
No Senado, Marcondes Gadelha integrou, como titular, as comissões de Constituição e Justiça e do Distrito Federal, entre 1983 e 1984, e de Legislação Social, e como suplente as comissões de Assuntos Regionais e de Economia. Em 1983, integrou a delegação presente à reunião do Grupo de Parlamentares para Estudo de População e Desenvolvimento, ocorrida na cidade do México, e no ano seguinte foi como membro da comitiva presidencial em visita ao Japão e à República Popular da China, e atuou como observador parlamentar na Conferência Internacional sobre População, realizada na cidade do México, em 1984.


SL
PBAgora

Nenhum comentário