Header Ads

CMCG

ÁUDIO: indignada, presidente da CMCG faz desabafo sobre assalto à sua filha e cobra mudanças na Legislação a deputados federais e senadores




A presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, vereadora Ivonete Ludgério (PSD) se utilizou do pequeno expediente, na manhã desta quarta-feira (28), para relatar em detalhes tudo que sua filha caçula, Ana Karolynne e mais três amigos passaram, no último domingo (25), nas mãos de dois bandidos que os renderam e tomaram o automóvel HB20/2018 em que estavam, nas proximidades do bairro Itararé.

Ivonete disse que um dos piores momentos foi estar de frente aos pais dos meliantes presos confrontarem as vítimas e ainda propor que as mesmas amenizassem a situação dos seus filhos. “Um dos pais chegou a me questionar sobre o que poderia fazer para amenizar a situação do seu filho. Um policial passou todo o tempo dentro da viatura, conversando com os familiares dos bandidos, quer dizer: onde nós estamos?”, desabafou.

Indignada com o tratamento dado aos bandidos, Ivonete revelou que se ela e o seu esposo, deputado estadual, Manoel Ludgério não tivesse chegado a tempo na delegacia, a moto em que os mesmos estavam praticando assaltos, teria sido devolvida ao pai de um deles para continuarem praticando delitos. “Se nós não tivéssemos chegado a tempo, a moto seria devolvida e eles continuariam praticando assaltos como mais um ocorrido ontem com a sobrinha do vereador Pimentel”, disse.

Outro desabafo feito pela presidente do Legislativo campinense foi o de que, enquanto um dos colegas da sua filha, que estava no carro no momento do assalto, que sofreu agressão física dos bandidos, não foi fazer exames de corpo delito, mas os assaltantes foram. “Eu pergunto: onde nós estamos? Que inversão de valores é essa? Minha filha está traumatizada, não consegue dormir a não ser à base de medicação e, provavelmente deverá se submeter a terapia. Agradeço a Deus não ter sido mais grave do que o assalto em si. Como nós vamos viver num país desses? O bandido tem direito a exame de corpo de delito, dois dias depois audiência de custódia e é solto e as vítimas?!”, questionou Ivonete.


Por fim, Ivonete Ludgério faz um apelo aos colegas da CMCG: “Temos colegas aqui na Câmara que serão candidatos a deputado federal, então o primeiro processo é a mudança na Lei. É o deputado deixar de se comprometer com a indústria de armas, com empresários e se comprometer com a população. Esta é uma das primeiras coisas que devemos cobrar, senadores e deputados são quem fazem as leis neste país e essas é que precisam mudar e serem colocadas em prática. Temos que protestar, eu, a dona de casa que teve uma bacia roubada, um produtor rural que que teve uma galinha roubada. A hora é essa de protestar na hora do voto”, finalizou.

Ouça o áudio na íntegra:



Nenhum comentário