O exercício físico multiplica 8x sobrevivência contra Covid-19

 


De acordo com estudo recente realizado por cardiologistas do Instituto Cardiovascular do Hospital Clínica San Carlos de Madri, a atividade física aumenta em até 8 vezes as chances de sobrevivência em comparação com pessoas sedentárias.

O estudo publicado na revista americana Infectios Diseases and Therapy foi realizado com uma amostra de 520 pacientes com idades entre 18 e 70 anos. Todos internados por COVID-19 durante a primeira vaga, de 15 de fevereiro a 15 de abril de 2020.

Esses pacientes foram divididos em dois grupos: aqueles que tinham vida sedentária (57,1% deles) e aqueles que faziam exercícios regulares por pelo menos 30 minutos duas vezes por semana (42,9%).

Benefícios do exercício físico contra COVID-19

“O grupo que manteve uma atividade física constante, leve ou moderada, teve risco de mortalidade de 1,8% contra 13,8% do grupo com estilo de vida sedentário”. Seus autores explicam na web isanidad.

Todos nós sabemos a importância do exercício físico na prevenção de doenças como as de origem cardiovascular, mas agora esses pesquisadores puderam constatar sua importância contra o vírus. “Pudemos verificar em pacientes hospitalizados com Covid-19 a influência transcendental da prática de exercícios físicos na sobrevida ou mortalidade desses pacientes”. Indica um dos médicos do estudo, Dr. Salgado.

Mas eles não viram apenas que a atividade física desempenhava um papel importante. Eles também analisaram o estilo de vida da amostra. Entre os sedentários, eles viram que havia um percentual maior de fumantes (6,7% por 3,6%) e obesos (23,6% por 16,1%), respectivamente.

Da mesma forma, também observaram que pessoas sedentárias apresentaram maior taxa de insuficiência respiratória (53,9% por 35,9%), insuficiência renal (14,5% versus 6,3%) e internação hospitalar.

“O que foi realmente surpreendente e novo foi observar como o estilo de vida sedentário apareceu como um preditor independente de mortalidade.”

Os autores explicam. “Até agora era recomendado controlar os fatores de risco e realizar exercícios físicos, mas sem muitas evidências científicas, no entanto, a partir de agora, o exercício físico regular passa a ser um fator primordial, pois reduz a possibilidade de morrer de Covid-19 oito vezes quando a pessoa necessita de internação hospitalar” . Comenta Dr. Julián Pérez-Villacastín, diretor do Instituto Cardiovascular Clínico.


Perunning

Nenhum comentário