Preços de combustíveis agora podem ser acompanhados de forma dinâmica em todo o país

 


ANP lançou no dia 14 de dezembro um painel com informações de preços de revenda e distribuição de combustíveis. Plataforma ainda não mostra valores de emissões de gases poluentes emitidos pelos combustíveis 

Com o objetivo de dar mais transparência à divulgação de dados e informações do setor, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) lançou no dia 14 de dezembro um painel dinâmico que traz informações de preços de revenda e distribuição de combustíveis, assim como os preços de produtores e importadores de derivados de petróleo. 

Através da plataforma interativa, qualquer pessoa pode consultar os preços de revenda e distribuição em escala nacional dos seguintes combustíveis: etanol hidratado, gasolina aditivada, gasolina comum, GLP (gás de cozinha), GNV (gás natural veicular), óleo diesel e óleo diesel S10 (com menor teor de enxofre). Também é possível fazer um comparativo de preço entre combustíveis, como por exemplo, etanol x gasolina comum. 

O painel possibilita a pesquisa  segmentada, que é feita através de filtros, de acordo com a localidade (região, estado e município) e tempo (semanal, mensal, ou um comparativo anual).

“Toda a ideia do painel é facilitar a análise dos dados e ter uma informação rápida. É possível gerar gráficos e fazer análises a partir daquilo que você quer coletar. Nesse painel, você pode fazer a relação de preços de revenda e distribuição de combustível. Isso interessa à população, pois é possível pesquisar dos anos de 2004 a 2020. Se a gente for observar, o petróleo sofreu uma variação muito grande”, diz o diretor do Pólo de Inovação do IFPB, Erick Melo, que possui experiência com Business Intelligence, a tecnologia base utilizada pelo painel da ANP.

Apesar de possibilitar fazer comparativos entre preços de revenda e distribuição em todo o país e nos últimos anos, o painel ainda não mostra dados sobre a quantidade de emissões de gases poluentes emitidos por combustíveis fósseis, que são oriundos do petróleo. A queima desses combustíveis produz  toneladas de dióxido de carbono anualmente, que aumentam os efeitos do aquecimento global e contribuem para catástrofes ambientais.

Para o presidente do Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool da Paraíba (Sindalcool-PB), Edmundo Barbosa, o etanol é o combustível do futuro. “Continuam analisando os combustíveis tendo como base a razão dos 70%, que é o poder calorífico e nada tem a ver com o desempenho real dos combustíveis. Também não se fala dos prejuízos causados pela carbonização dos motores, nem que o etanol é o futuro, já que representa a capacidade do Brasil contar com veículos a célula combustível abastecidos com etanol”, afirma. 

O acesso ao painel dinâmico pode ser feito através do link: www.gov.br/anp/pt-br/centrais-de-conteudo/paineis-dinamicos-da-anp/painel-dinamico-de-precos-de-combustiveis-e-derivados-do-petroleo

Vendas de etanol na Paraíba continuam crescendo  

Segundo dados do Sindalcool-PB, as vendas do etanol na Paraíba tiveram aumento de 14,45% em relação a agosto deste ano. O aumento pode estar associado a vários fatores e devido também a lenta retomada do consumo dos combustíveis devido à pandemia.

"Mesmo com preços relativos maiores do que 70%, os consumidores na Paraíba cada vez mais adotam mais o etanol regularmente. Hoje, como todos somos obrigados a usar máscara, o consumidor está mais consciente e todos evitam poluir mais. A pandemia trouxe uma lembrança hoje relembrada: não saia de casa, mas se sair, vá de etanol”, ressalta o presidente do sindicato, Edmundo Barbosa.

O etanol é um biocombustível renovável, sustentável e limpo. As diversas vantagens do uso do etanol para automóveis vêm sendo levantadas há anos no Brasil. O etanol emite 82% menos dióxido de carbono do que combustíveis fósseis e ainda contribui para a longevidade dos motores flex e evita a carbonização dos motores.

Nenhum comentário