Bruno vai pedir audiência a João Azevedo e já articula encontro com Bolsonaro

Segundo prefeito eleito, pelo interesse dos projetos do Município, ele vai bater na portal dos palácios da Redenção e do Planalto

Ao garantir que “não gosta de demonizar a política”, o prefeito eleito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), anunciou durante entrevista concedida à Rádio Arapuan FM, nesta quarta-feira, 2, que já na primeira semana do seu governo pretende manter audiência com o governador da Paraíba, João Azevedo, além de articular um encontro com o presidente da República, Jair Bolsonaro. Segundo ele, quando estão em jogo os interesses do povo campinense, o diálogo deve ser franco, aberto e propositivo com todos os setores políticos da Paraíba e do Brasil. 

Para o prefeito, quem tem a missão de governar uma cidade do porte de Campina Grande precisa e deve manter entendimentos com todos os segmentos políticos, sejam eles “novos” ou “velhos”, pois o que importa é o atendimento às demandas da coletividade campinense. 

Nesse contexto, também lembrou a sua pretensão de contar com uma Câmara Municipal parceira, tudo em nome do bem e do crescimento da cidade. Por isso, advoga a harmonia entre os poderes. 

“A Câmara Municipal, por isso, tem total autonomia para decidir seus rumos. A decisão da mesa diretora, por exemplo, será tão somente de caráter interno. Sou extremamente respeitoso e jamais farei vetos a quem quer que seja”, garantiu, informando que vai ter café da manhã com todos os vereadores e vereadoras. Ele espera encontrar soluções para os problemas da cidade, sem interferência ideológica.

Equipe: os critérios para a escolha

Sobre a futura equipe de governo, informou que ainda não tem os nomes para anunciar à sociedade, mas a escolha vai recair em torno de critérios como capacidade técnica e ética. "Estes serão os dois principais critérios para integrar a equipe”, afirmou, lembrando, ainda, a necessária capacidade de diálogo com a sociedade por parte dos futuros auxiliares. 

Atualmente, está em atividade uma equipe de transição de caráter misto, pois é integrada por pessoas importantes do governo Romero Rodrigues, além de outras personalidades indicadas por ele. Adiantou, porém: “Muitos que estão na transição poderão estar no primeiro escalão. Ainda não há definições e o anuncio será no final deste mês”

Nenhum comentário