Zezé Di Camargo exalta pai durante velório: 'Meu herói'

 


O velório de Francisco José de Camargo, mais conhecido como Seu Francisco, acontece nesta terça-feira (24), em Goiânia. O pai da dupla Zezé di Camargo e Luciano, que sofria de efisema pulmonar, morreu na noite de segunda-feira (23), aos 83 anos.

Em entrevista coletiva no local, Zezé conversou com o Balanço Geral SP e falou mais sobre a causa da morte do pai. Luciano, que está com covid-19, não pôde comparecer.

"Há mais de 2 anos que meu pai tem efisema pulmonar, e já esteve mal, mal assim mesmo, de UTI, várias vezes, chegou a ficar 4 meses internado... É que a gente nunca quis falar isso para não causar especulação e o motivo da morte, que eu acho, foi falência múltipla dos órgãos", falou. "Foi parando um, parando outro. A gente consertava uma coisa ali, atrapalhava outra ali. Muito remédio, muito antibiótico. Aquilo vai minando o ser humano. Eu falava sempre para os meus irmãos toda vez que eu vinha para Goiânia: eu sentia que meu pai era uma velhinha que aquela chaminha, cada vez que eu via, estava menorzinha", completou.

O músico ainda contou sobre o amor que guarda de Seu Francisco e os próximos cuidados que terá com a mãe, Helena Camargo: "Pretendo cuidar da minha mãe, colar nela. São oito filhos. A gente tem que dar amor, carinho, como sempre dei. Meu pai sempre foi meu xodó, é meu herói, todo mundo sabe disso. Não teve uma noite na minha vida que não fechei os olhos e lembrei do sorriso do meu pai. E vai continuar sendo assim."

Zezé descreveu a relação com o pai como sendo de muita "parceria" e aproveitou para contar uma história de quando era criança.

"Lembro do meu pai pequeno, a gente indo para roça para ganhar um sustento. Eu dormia no quarto lá no sitío novo, e ele passava na beirada da minha janela, às 5 ou 6 horas da manhã. Eu escutava ele passando e coava o café dele. A gente não tinha recurso, então, ele tomava puro café", contou.

Uma das maiores alegrias para Zezé foi ter proporcionado para o pai uma vida que ele não poderia ter. Além disso, ele destacou a "alegria" em corresponder com às expectativas do pai.

"Tudo, tudo. Poder ter dado para ele uma vida que ele jamais poderia ter. Corresponder às expectativa dele como filho. Esse choro aqui não é de remorso, arrependimento, não é de nada, eu sou muito bem resolvido com meu pai", garantiu. "É da perda mesmo, saber que não vou ouvir mais aquela brincadeira. Para o que meu pai estava passando, foi o melhor. A gente conversou com Deus e falou para ele cuidar do meu pai na Terra e fazer o que achava melhor", finalizou.

Luciano Camargo não pôde comparecer à cerimônia por ter sido diagnosticado com covid-19. O irmão de Zezé estaria "muito triste" com a situação.


R7


Nenhum comentário