Header Ads

NA TV ITARARÉ “Essa estória de VLT é como a linha do Equador: todo mundo sabe que existe, mas ninguém nunca viu", ironiza Bruno

 


Em entrevista ao Ideia Livre, candidato a prefeito do PSD reafirma compromisso com usuário do transporte público de Campina Grande


Ao participar da rodada de entrevistas com os candidatos a prefeito de Campina Grande, no Programa Ideia Livre, da TV Itararé/TV Cultura, na noite desta terça-feira, 3, Bruno Cunha Lima (PSD), da Coligação Campina Rumo ao Futuro, fez uso da fina ironia para desqualificar a requentada proposta de instalação de VLT em Campina Grande.

- Essa estória de VLT é como a linha do Equador: todo mundo sabe que existe, mas ninguém nunca viu -, declarou Bruno ao tratar do tema transporte público, lembrando que Campina Grande já não compra mais essa "mentira de décadas".

Modelo será discutido

O prefeitável do PSD assumiu compromisso dura com quem usa o transporte público na cidade, de melhorar o modelo que vem sendo adotado atualmente.

"Há alguns meses, foi implantado o sistema de integração temporal, com uso de cartões em fase de teste. Mas as pessoas têm reclamado que os 70 minutos ofertados para descer de um ônibus e entrar em outro ônibus não estão sendo suficientes. João Pessoa oferece 40 minutos, Natal parece que são 30 minutos e aqui os 70 não estão sendo suficientes. Eu assumi um compromisso com quem usa o sistema de transporte coletivo, de rever esse modelo", oberrvou.

Segundo Bruno, existem três opções em relação à essa questão: ou volta para o modelo 100% de integração física; ou se tem o modelo de integração temporal, desde que seja revisto o tempo, para que seja possível pegar o segundo ônibus sem pagar uma nova passagem; ou a terceira e mais viável alternativa, que é ter o modelo misto, onde quem quer faz a integração física, ou quem quiser faz a integração temporal. "Assumi esse compromisso e vou realizar", garantiu ele.

O programa Ideia Livre desta terça teve a apresentação de Arimatéa Souza, com a participação do cientista Político Fábio Machado e do jornalista  Max Silva.

Nenhum comentário