Header Ads

Vereadores do Avante que desobedecem orientação podem ser pegos na infidelidade partidária

 



Os vereadores do Avante que não estão seguindo a orientação do partido, em João Pessoa, ainda não se atentaram para dois riscos que correm. O primeiro de não ter a legenda. O segundo é os respectivos suplentes, caso os infiéis sejam reeleitos, tomarem seus mandatos na justiça eleitoral.

Em João Pessoa o Avante ainda não definiu se terá candidatura própria ou se fará aliança com alguma legenda que já esteja com nome definido para a majoritária. Contudo, o vereador Chico do Sindicato (Avante), fez reunião, na noite desta quinta-feira (13) com o prefeito Luciano Cartaxo (PV) e a pré-candidata a prefeita da Capital pelo Partido Verde, Edilma Freire, e anunciou apoio à pré-candidatura de Edilma. 

A posição de Chico do Sindicato, sem o consentimento do Avante, pode se caracterizar como infidelidade partidária, que trata da obrigação do parlamentar com o seu partido segundo a Lei Eleitoral. Neste caso, o suplente de Chico na Câmara pode pedir judicialmente a Perda de Mandato Eletivo e a vaga do vereador alegando a possível falta de obrigação com a legenda, e, se eleito, a decisão de Chico em apoiar Edilma sem o consentimento do Avante pode eventualmente causar reviravolta nas cadeiras da Casa de Napoleão Laureano.

Chico do Sindicato é um  dos cinco vereadores do Avante em João Pessoa. Também compõem o partido Renato Martins, Dinho, Raíssa Lacerda e Professor Gabriel. Os outros quatro não se manifestaram sobre apoio a candidaturas a prefeito.


Fonte83

Nenhum comentário