Header Ads

Quase 100% dos carteiros atendem paralisação em Campina; saiba como ficam as entregas

 

O secretário de imprensa dos Correios e Telégrafos de Campina Grande, Alex Albino, detalhou como deve ficar o atendimento ao público na sede dos Correios durante a greve deflagrada em todo o território nacional. De acordo com ele, o serviço mais afetado na cidade foi o de entrega, porém o cliente que não receber a mercadoria no prazo determinado poderá solicitá-la na sede de forma presencial.

“Aqui em Campina Grande temos um diferencial em relação às outras cidades, porque o número maior de carteiros atenderam a paralisação, mais de 95%, isso quer dizer que o setor mais afetado foi o da entrega, porém a agência central que funciona em frente a praça da Bandeira está aberta e quem quiser pode vir presencialmente e pedir a sua encomenda, agora se vai ser fornecida ou não fica a critério da empresa e dos trabalhadores que não aderiram a greve”, disse em entrevista a Rádio Arapuan FM.

Ainda de acordo com Alex, os demais setores devem funcionar com o número mínimo de efetivo permitido que é de 30%.

Entre as reivindicações dos trabalhadores de acordo com texto publicado no site da federação, “Foram retiradas 70 cláusulas com direitos como 30% do adicional de risco, vale alimentação, licença maternidade de 180 dias, auxílio creche, indenização de morte, auxílio para filhos com necessidades especiais, pagamento de adicional noturno e horas extras.”

Os trabalhadores também mencionam falta de equipamentos de proteção adequados, álcool em gel e de testes. Eles querem ainda o restabelecimento do atual acordo coletivo, que teria vigência até 2021.


Paraíba Todo Dia




Nenhum comentário