Header Ads

Concurso de médicos para o Isea será anunciado nos próximos dias

O secretário de Saúde de Campina Grande, Filipe Reul, afirmou que o problema de superlotação no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea) é histórico e o afastamento dos profissionais que fazem parte do grupo de risco agravou ainda mais essa realidade, pois houve uma queda na escala de médicos.

Ele destacou que a Prefeitura de Campina Grande não recebe nenhum recurso por parte dos municípios vizinhos para auxiliar no atendimento que é fornecido para as gestantes que vêm de outras cidades do Estado para o Isea.

Ele citou que a maternidade atende hoje gestantes de 173 municípios, fora municípios que não são referenciados de estados como Rio Grande do Norte e Pernambuco.

Filipe comentou, durante entrevista à Rádio Caturité FM, que o prefeito Romero Rodrigues (PSD) deve anunciar nos próximos dias um concurso para a contratação de profissionais médicos com o intuito de sanar esse problema da maternidade.

– Como temos uma capacidade limitada, tanto de leitos como de profissionais que ali atuam, tem essa problemática da superlotação e isso se agravou desde o início da pandemia, considerando que alguns profissionais tiveram que se afastar por terem mais de 60 anos ou apresentarem alguma comorbidade. A gente sempre vem discutindo com a direção da maternidade, quanto com o Ministério Público, para que a gente encontre uma solução o mais rápido possível – disse.

O secretário ainda lembrou que a promessa de existência de uma maternidade em cada cidade do Estado não foi cumprida por parte do governo estadual, o que agrava o problema de superlotação no instituto campinense.


paraibaonline

Nenhum comentário