Header Ads

Romero dá um freio no presidente nacional do PSD e diz que nome será escolhido entre os aliados


Não é segredo para ninguém que o prefeito de Campina Grande esta focado no combate ao coronavírus, sendo reconhecido nacionalmente pela sua postura de liderança no processo, ciente de sua força e de sua aceitação, Romero tem mantido silêncio em relação a quem será seu candidato a sucessão. O prefeito sabe que é muito bem avaliado, e que seu governo será julgado, ao passo que será a base para a possibilidade de eleição de seu sucessor.

Após as palavras do presidente nacional do PSD, Kassab que lançou o nome de Bruno Cunha Lima e esqueceu o de Manoel Ludgério, Romero Rodrigues, resolveu colocar os pingos nos is, e resolveu mostrar que quem tem tempo, não tem pressa. Ele explicou que tem conversado e discutido com todas as lideranças e ouvido todos os partidos aliados, para assim, chegar à deliberação final.

Romero destacou que o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, deu autonomia, independência e liberdade para ele conduzir a questão da consolidação do partido na Paraíba. Ciente de que é o líder de sua sucessão, Romero mantém o silêncio e afirma que esta estruturando o PSD em toda a Paraíba. “Estamos com o PSD estruturado praticamente na Paraíba inteira”, pontuou o prefeito.

Sobre os possíveis pré candidatos pelo partido, o prefeito enfatizou que Bruno Cunha Lima é alguém que está apto ao cargo e citou também outras possibilidades, como o deputado Tovar Correia Lima e o deputado Manoel Ludgério, que inclusive colaboraram na Prefeitura Municipal de Campina Grande.

Por fim, Romero informou que como os prazos das eleições foram prorrogados do dia 4 de outubro para o dia 15 de novembro, continuará analisando, avaliando e refletindo sobre possíveis candidaturas.

“Vamos trabalhar e com o tempo, na hora certa, anunciar os nossos candidatos nos 223 municípios, se for possível. Mas aqui em Campina Grande, nós estaremos anunciando nas próximas semanas”, finalizou.



pagina1pb

Nenhum comentário