Header Ads

Qualquer grau de obesidade é risco para covid-19 grave, diz estudo


Um estudo conduzido por pesquisadores italianos reforça que a obesidade é um fator de risco para que pessoas desenvolvam quadros graves de covid-19, mas acrescenta que qualquer grau de sobrepeso pode ser prejudicial para quem é infectado pelo novo coronavírus. As conclusões foram publicadas nesta quarta-feira (15) no Jornal Europeu de Endocrinologia.

O grupo analisou 500 pacientes hospitalizados com covid-19 na região de Bolonha e constatou algo um pouco diferente das diretrizes que vinham sendo utilizadas por algumas entidades médicas. Eles concluíram que um IMC (índice de massa corpórea) acima de 30 (obesidade 2) já é suficiente para aumentar as chances de complicações causadas pela doença e também de morte.

No Reino Unido, por exemplo, as diretrizes atuais para identificar pessoas com maior risco no Reino Unido são definidas com um IMC de 40 (obesidade 3).

“Nosso estudo mostrou que qualquer grau de obesidade está associado à doença grave de covid-19 e sugere que pessoas com obesidade leve também devem ser identificadas como uma população em risco”, afirmou o médico Matteo Rottoli, um dos autores do artigo.

Esta semana, um estudo brasileiro, da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), indicou que células adiposas (que armazenam gordura) podem ser, além de infectadas, servir como reservatório para o SARS-CoV-2, coronavírus causador da doença.

Outros fatores ligados à obesidade, como resposta imunológica prejudicada para infecções virais, alterações da função pulmonar e quadros inflamatórios crônicos, também aparecem no estudo italiano como potenciais desencadeadores de um agravamento da covid-19.

Nenhum comentário