Header Ads

Pauta ‘encalha’ na CMCG por ausências de vereadores em sessões remotas


Nem a possibilidade de trabalhar de casa, através das sessões remotas, fez com que muitos vereadores de Campina Grande não faltassem aos trabalhos legislativos.

A Casa de Félix Araújo está realizando sessões online desde o mês de abril, em virtude da pandemia do novo coronavírus. Mesmo tendo a oportunidade de participar direto de sua residência ou de onde estiver (desde que tenha acesso a internet), uma parte dos parlamentares vem “gazeando” as reuniões.

Essa ausência está inclusive prejudicando o andamento dos trabalhos, pois a pauta de votações está travada há 50 dias justamente por falta de quórum (numero suficiente de parlamentares presentes) para que as matérias sejam apreciadas.

Essa semana, os vereadores foram convocados e avisados de que haveria projetos na pauta de votação da quinta-feira, inclusive matérias importantes, dentre elas a apreciação de vetos do poder executivo, mas não havia sequer doze dos 23 vereadores presentes.

No momento em que o vereador Anderson Maia, que presidia a sessão, convocou nominalmente os vereadores, apenas oito responderam: Rui da Ceasa, Galego do Leite, Olimpio Oliveira, Luciano Breno, Pimentel Filho, Teles Albuquerque, Lucas Ribeiro e o próprio Anderson. Em seguida, voltaram a ficar online Sargento Neto e Alexandre Pereira, totalizando somente dez presentes.

Alguns vereadores presentes na sessão, entre eles Anderson Maia (PSB), Lucas Ribeiro (Progressistas), Alexandre Pereira (PSD), Olimpio Oliveira (PSL), Luciano Breno e Galego do Leite (Podemos) reclamaram das ausências dos colegas, inclusive alguns cobrando o retorno das sessões presenciais na Casa de Félix Araújo.

“Semana passada passamos por essa mesma situação constrangedora”, lembrou Lucas Ribeiro, ressaltando que as matérias que deixaram de ser apreciadas estão na pauta desde 07 de junho, portanto, há um mês e meio.

“Cada um precisa lembrar da sua responsabilidade. Temos muita demanda aqui nessa casa. Há uma avaliação negativa dessa casa mesmo presencialmente e não devia acontecer remotamente, porque você pode estar online e acessível de onde quer que você esteja”, complementou Anderson.



*Com informações do Blog do Lenildo Ferreira

Nenhum comentário