Header Ads

UFC 250: Amanda Nunes vence e faz história


Senhoras e senhores, quando Amanda Nunes entra em ação, só nos resta aplaudir! A brasileira, que caminha para se consolidar cada vez mais como a melhor lutadora de todos os tempos, fez história mais uma vez no UFC 250. Sem sofrer e sem nem precisar tirar o sorriso do rosto mesmo enquanto batia na rival, Amanda dominou completamente, deixou Felicia Spencer com o rosto deformado e venceu na decisão unânime dos jurados  (50-44, 50-44 e 50-45) para se tornar o primeiro ser humano da história a defender simultaneamente dois cinturões do Ultimate.

Campeã dos pesos galos desde 2016, ela já havia defendido esse cinturão cinco vezes (Ronda Rousey, Valentina Shevchenko, Raquel Pennington, Holly Holm e Germaine de Randamie). Só que o título dos penas, conquistado em 2018 com o nocaute espetacular sobre Cris Cyborg, ela ainda não havia colocado em jogo.

O UFC teve outros três campeões simultâneos em duas categorias: Conor McGregor, Daniel Cormier e Henry Cejudo. Nenhum deles, porém, defendeu os dois cinturões ao mesmo tempo – o irlandês não defendeu nenhum, Triple C defendeu apenas o dos galos, enquanto Cormier defendeu ambos, mas não simultaneamente (ele vagou o dos meio-pesados quando conquistou o dos pesados).

E Amanda segue apenas colecionando os feitos históricos ao seu currículo. Ela já havia sido a primeira brasileira a lutar no UFC, a primeira brasileira a ser campeã, a primeira mulher da história a ser campeã de duas categorias, a mulher que mais defendeu o cinturão dos pesos galos…

O domínio só aumentou com o passar do tempo e com o gás de Spencer diminuindo cada vez mais. No quarto round, Amanda bateu tanto que chegou a deixar a adversária com o rosto deformado, com um galo enorme na testa. No fim, chegou a encaixar um mata-leão, mas não teve tempo suficiente para concretizar a finalização.

O quinto round só confirmou o triunfo – e aumentou o passeio. O juiz chegou a interromper a luta para os médicos avaliarem as condições de Spencer. O combate continuou, mas não havia jeito de mudar o resultado final.



ESPN

Nenhum comentário