Header Ads

Após invadir Hospital, deputado paraibano vira alvo de investigação do MP

O deputado estadual Cabo Gilberto (PSL) vai ser investigado pelo Ministério Público da Paraíba. Ele é acusado de ter invadido o Hospital de Campanha instalado no Hospital Metropolitano, em Santa Rita. O parlamentar alegou que cumpria o dever de fiscalizar. O fato ocorreu no dia 3 de maio, antes da estrutura destinada ao atendimento a pacientes com Covid-19 entrar em funcionamento.

A investigação no Ministério Público da Paraíba foi aberta após pedido formulado pela Procuradoria-Geral da República. Na semana passada, em live, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pediu a apoiadores que dessem um jeito de entrar nos hospitais para fazer imagens e ver se eles estão vazios. A atitude foi condenada por governadores e pelo Ministério Público.

A investigação contra o Cabo Gilberto é para verificar se o político ensejou em crime e pode se enquadrada no Código Penal. Por meio de postagem em uma rede social, feita em 5 de maio de 2020, o político afirma que visitou o Hospital Metropolitano, em Santa Rita, região metropolitana de João Pessoa. Segundo ele, a visita foi feita após receber denúncias de que a unidade de saúde não estava superlotada com casos de Covid-19.

Procurado pelo blog, o deputado disse que “podem abrir mil investigações como esta, que não vão parar o nosso trabalho enquanto a Constituição Federal da República Brasileira determinar que o poder Legislativo, os membros do poder Legislativo, que são os deputados, senadores, possam fiscalizar o Executivo. Então, eu estava na minha prerrogativa de parlamentar”, disse.

Segundo o MPPB, a decisão de apurar o caso veio de um pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras, feito nesta segunda-feira (15), solicitando aos chefes dos Ministérios Públicos Estaduais que abram investigação sobre casos de invasão a hospitais e ofensas contra profissionais e equipes de saúde. Procurado pelo blog, o parlamentar disse que ainda não foi notificado da investigação.

Em postagem nas redes sociais, no mês passado, o Cabo Gilberto relatou, inclusive, que forçou a entrada na instituição de saúde. “A segurança não permitiu minha entrada seguindo ordens, porém informei que não estava pedindo para entrar, e sim informando que iria entrar, e fiscalizar como está sendo empregado o dinheiro público. Entrei em vários setores e observei o hospital vazio, limpo higienizado, como as fotos comprovam”, escreveu o deputado em postagem.

O Ministério Público informou também, que os gestores hospitalares da Paraíba devem comunicar os casos que registrarem ao órgão ministerial, que tomará as medidas cabíveis para apuração dos fatos. Os contatos da instituição podem ser consultados no site do MPPB.

Blog do Suetoni

Nenhum comentário