Header Ads

Fechamento do Makro no ES pegou funcionários e sindicato de surpresa


Os funcionários das duas lojas da rede Makro no Espírito Santo, localizadas na Serra e em Vila Velha, foram pegos de surpresa com o fechamento das unidades na manhã desta quarta-feira (15). Segundo o Sindicato dos Comerciários do Espírito Santo (Sindicomerciários), muitos deles receberam cartas de demissão pela manhã ao chegar para trabalhar.
O sindicato afirma que ainda faz levantamento de quantas pessoas forma demitidas até o momento.  "O que sabemos é que a empresa começou a partir de hoje (quarta) entregar aviso sobre demissões aos funcionários. As operações serão assumidas pelo grupo Epa e estamos em negociação para que os novos empregadores reaproveitem a mão-de-obra", disse o presidente da entidade Rodrigo Rocha.
Ele afirma que foi contactado pelo grupo mineiro e foi informado que as duas lojas do Makro darão lugar a unidades do Mineirão atacarejo.  "A intenção deles é de que a inauguração com a nova bandeira ocorra em 60 dias. Como o Makro vinha atuando com número reduzido de funcionários, pode ser até que sejam ampliados os postos de trabalho", diz.  O Makro empregava 200 pessoas nas duas cidades.

FUNCIONÁRIOS DESCONFIAVAM MAS NÃO FORAM COMUNICADOS DE FECHAMENTO

O presidente do sindicato ressalta que há alguns dias a empresa tem feito uma série de promoções, o que começou a levantar a suspeita por parte dos trabalhadores de que as unidades poderiam ser fechadas. "Os funcionários desconfiavam, mas a surpresa é de que o local foi fechado hoje. Sem comunicação previa, sem reunião, sem procurar a entidade sindical", acrescenta.
A reportagem questionou a rede atacadista sobre a situação dos funcionários, que teriam sido demitidos. Assim que as perguntas forem respondidas, esta matéria será atualizada.

FAIXA NA PORTA INFORMAVA DO FECHAMENTO

Na manhã desta quarta, A Gazeta esteve na loja de Vila Velha e uma faixa informava do encerramento de atividades. Clientes tentavam entrar, mas foram avisados pelos funcionários que a loja estava fechada e que eles foram demitidos de surpresa. Porém, os trabalhadores não quiseram falar com a reportagem.
Em nota, a rede diz que "o Makro Atacadista esclarece que a venda da operação das unidades de Serra e Vila Velha é um movimento que visa garantir maior eficiência operacional da companhia, assegurando a sustentabilidade do negócio por meio da priorização e diversificação de investimentos já para 2020".
A loja da Makro Atacadista, na Avenida Carlos Lindenberg, em Vila Velha, encerrou as suas atividades. Crédito: Fernando Madeira
Nos dia 4 de janeiro, o grupo atacadista já havia fechado outras seis lojas: Cambé (PR), Aricanduva (SP), Marechal Tito (SP), Contagem (MG). Juiz de Fora (MG) e Araçatuba (SP). Na época, a empresa informou que “o movimento faz parte do planejamento estratégico da companhia de renovação do portifólio de lojas e serviços”.
A Makro é holandesa e atua no Brasil desde 1972. A loja de Vila Velha funcionava desde 2009 enquanto a da Serra estava em atividade desde 1990. No Brasil, são 68 unidades, segundo o site da rede.
Ao jornal Valor Econômico, em julho do ano passado, o presidente do Makro, Marcos Ambrosano, disse que seria realizada uma mudança importante no modelo de operação do país, com a migração para o formato de “atacarejo” que atende o consumidor final.



Nenhum comentário