Header Ads

Calvário: 17 presos na 7ª fase, 12 continuam presos e 5 podem voltar para a cadeia na semana que vem


Após a realização da sétima fase da Operação Calvário o corre-corre em busca de habeas corpus foi grande e a situação de alguns presos destoam dos outros, dos 17 presos apenas 12 estão presos, isso após a prisão do empresário Hilário Ananias Queiroz nesta quarta, 29, no Rio de Janeiro. Os Habeas Corpus deram certo para o chefe da quadrilha Ricardo Coutinho, para a prefeita do Conde Márcia Lucena, para a companheira de Estelizabel, ex-secretária de Saúde Claudia Veras, Francisco das Chagas e pela liberação da própria Estelizabel concedida pela Assembleia Legislativa da Paraíba.
Os entendimentos do Gaeco é de que com a delação de dois presos muito importante a possibilidade destes criminosos soltos é de voltarem para a cadeia. Gilberto Carneiro e Waldson de Souza já entraram em acordo com o Gaeco e resoveram delatar o esquema criminoso.
Os próximos passos na Calvário são decisivos para as ações do Gaeco, mas na semana que vem com a volta aos trabalhos do Poder judiciario brasileiro caberá ao ministro Gilmar Mendes, relator da operação Calvário no Supremo Tribunal Federal (STF), decidir sobre a liberdade de pelo menos sete acusados presos. A decisão foi proferida recentemente pelo presidente da corte, Dias Toffoli, ao analisar o caso. A lista inclui Waldson de Souza, Coriolano Coutinho, José Arthur Viana, Márcio Nogueira, Valdemar Abdalla, Vladmir Neiva e Bruno Caldas, bem como a possibilidade da volta a prisão dos liberados por Habeas Corpus através do STJ.
Veja a lista dos 17 presos na sétima fase da operação
1. Ricardo Vieira Coutinho (PSB) – conseguiu habeas corpus
2. Estela Bezerra (PSB) – foi solta por determinação da Assembleia Legislativa
3. Márcia Lucena (PSB) – conseguiu habeas corpus
4. Waldson de Souza – continua preso
5. Gilberto Carneiro – continua preso
6. Cláudia Veras – conseguiu habeas corpus
7. Coriolano Coutinho – continua preso
8. Bruno Miguel Teixeira – continua preso
9. José Arthur Viana – continua preso
10. Breno Dornelles Pahim – continua preso
11. Francisco das Chagas Pereira – conseguiu habeas corpus
12. Denise Krummenauer Pahim – continua presa
13. David Clemente Correia – continua preso
14. Márcio Nogueira Vignoli – continua preso
15. Valdemar Ábila – continua preso
16. Vladmir dos Santos Neiva – continua preso
17. Hilário Ananias Queiroz Nogueira – continua preso
Hilário era um dos sócios da Conesul Comercial e Tecnologia Educacional Eireli, que teria pago propinas a agentes públicos do governo do Estado em troca de contratos. Ao todo, as empresas fornecedoras de material escolar para a Secretaria de Educação teriam contribuído com R$ 57 milhões a título de propinas. As informações foram passadas por delatores do esquema, como Livânia Farias, Leandro Nunes, Ivan Burity e Maria Laura.


pagina1pb

Nenhum comentário