Header Ads

Material genético de Cristiano Ronaldo bate com o achado em modelo que o acusa de estupro


O caso de estupro envolvendo o nome de Cristiano Ronaldo voltou a ser notícia no exterior. O jornal britânico 'The Sun' diz ter tido acesso à uma troca de emails entre a polícia e os procuradores do caso em que a modelo Kathryn Mayorga, de 34 anos, afirma ter sido estuprada pelo jogador em uma suíte de hotel em Las Vegas, em 2009.

Segundo a publicação, entre as mais de 100 páginas de emails trocados consta a seguinte mensagem de um detetive chamado Jeffrey Guyer, de Las Vegas: "já temos os resultados do ADN e corresponde", afirma o investigador sobre o resultado do exame com o material genético cedido pelo craque no início deste ano.  A coleta foi necessária para auxiliar nas investigações e comparar ao ADN encontrado nas partes íntimas de Kathryn, quando a mesma foi ao hospital na época da denúncia de abuso sexual. Ainda de acordo com o The Sun, os emails também mostram que Cristiano Ronaldo disse aos advogados que a modelo tinha dito "não, para", durante a relação sexual. 

A investigação de abuso sexual contra Cristiano Ronaldo havia sido arquivada pela Justiça americana, após a procuradoria de Clark County, no estado do Nevada, ter concluído que as alegações de crime sexual apresentadas por Kathryn Mayorga não podiam ser comprovadas. No entanto, o caso foi reaberto depois que a modelo deu uma entrevista contando novas informações sobre o caso.


O Dia

Nenhum comentário