Header Ads

CMCG

Em discurso na Câmara: Renan evita confronto com a Justiça e diz que vai provar inocência


Com um discurso escrito, o vereador Renan Maracajá (PSDC) ocupou nesta terça-feira (08) pela primeira vez a tribuna da Câmara de Vereadores de Campina Grande, após passar 29 dias preso preventivamente durante a segunda fase da ‘Operação Famintos’, que investiga fraudes em licitações e desvios de recursos públicos da merenda escolar de Campina Grande.
Ele evitou o confronto com o Ministério Público Federal e pela Polícia Federal, mas disse que vai provar ser inocente no decorrer do processo. Renan foi denunciado, juntamente com outras 15 pessoas, por envolvimento nas fraudes investigadas pela ‘Famintos’. “De tudo o que sou acusado, sou inocente. E irei provar minha inocência na Justiça, que é o foro adequado para discutir se os fatos apresentados pelo Ministério Público Federal são verdadeiros. Estou de cabeça erguida para responder a todos os fatos do processo”, discorreu o vereador.
Vereador mais votado de Campina Grande nas últimas eleições, Renan é investigado por envolvimento em um suposto esquema de loteamento de merenda escolar no município. O grupo, formado por empresários, teria fraudado licitações com a utilização de empresas de fachada e recebido milhões de reais em contratos.
Confira o discurso na íntegra

Histórico
O vereador Renan Maracajá foi preso no dia 22 de agosto, durante a segunda fase da Operação Famintos. Ele é apontado pelo Ministério Público Federal como integrante do núcleo empresarial investigado na ‘Operação Famintos’. Renan foi solto depois que o Tribunal Regional Federal, em Recife, concedeu um habeas corpus a ele, no dia 19 do mês passado. Mesmo  respondendo ao processo em liberdade, o vereador ainda cumpre determinações impostas pela 4ª Vara da Justiça Federal. Uma delas é a proibição de entrar nos prédios da prefeitura da cidade, exceto durante a sua atuação como parlamentar municipal.


jornaldaparaiba

Nenhum comentário