Header Ads

CMCG

Com ‘rombo’ de R$ 80 milhões, prefeitura de Patos acumula dívida até com funerária


Afundada em um caos administrativo e político há meses, a prefeitura de Patos, no Sertão do Estado, tem hoje um ‘rombo’ financeiro estimado em R$ 80 milhões. O déficit mensal nas contas públicas chega a R$ 1,5 milhão, de acordo com o prefeito interino da cidade Ivanes Lacerda (MDB), que assumiu o comando da gestão municipal no fim de agosto deste ano. O estrangulamento financeiro tem comprometido o pagamento de fornecedores e até da empresa que fornece caixões para auxílio funeral, oferecido pelo município a pessoas carentes.
Essa semana, após a morte de um servidor público, os familiares dele por pouco não ficaram sem receber o caixão na hora do enterro. Foi preciso um pedido da Chefia de Gabinete do município para liberar o fornecimento do produto. É que a empresa que fornece os caixões estava com uma dívida acumulada de R$ 30 mil. Parte do valor, R$ 13 mil, foi paga nesta quarta-feira (02), mas ainda restam R$ 18 mil para serem quitados.
Ivanes tem feito um esforço grande e adotado medidas duras. Ele anunciou corte em gratificações, diárias e auditoria nos contratos firmados pelo município. Mas o prefeito admite que a situação é delicada. “A situação financeira é gravíssima. Com essa dívida tá quase inexequível o funcionamento da prefeitura. Estamos tentando recuperar a receita, mas a Câmara não aprovou o Código Tributário e fica muito difícil”, comentou.
Instabilidade política
O caos financeiro é acompanhado pela instabilidade política. De agosto do ano passado para cá, a cidade já teve quatro prefeitos após o afastamento pela Justiça de Dinaldo Wanderley Filho. Dinaldinho foi denunciado por irregularidades na Operação Cidade Luz, em agosto de 2018.
Ivanes Lacerda chegou ao comando da prefeitura após a renúncia de Sales Junior (PRB). Sales havia assumido o posto depois da renúncia do então prefeito interino Bonifácio Rocha, em abril deste ano. Vice-prefeito de Patos, Bonifácio Rocha assumiu a gestão da cidade após o afastamento do prefeito Dinaldinho Wanderley (PSDB) da prefeitura. 


jornaldaparaiba

Nenhum comentário