Header Ads

CMCG

Jogadores do Brasil deixam amizade de lado e rebatem Messi: "mais respeito"


As declarações de Lionel Messi acusando a Conmebol de favorecer o Brasil nas arbitragens da Copa América repercutiram mal com jogadores de seleção. Depois de bater o Peru por 3 a 1 e conquistar o título ontem, no Maracanã, vários atletas do elenco brasileiro, inclusive com relações de amizade com o argentino, deixaram a camaradagem de lado para rebater as acusações. Anteontem, Messi afirmou que a competição já estaria "armada pelo Brasil".
"É frustrante pelo jogador que é, o craque que é, admirado, falar uma coisa do tipo. Muitas coisas aconteceram a favor dele no Barcelona e na seleção, e nunca vi ele reclamando de arbitragem. Ele perdeu, tem que aceitar e engolir no seco. Perdemos também muitas coisas, na Copa do Mundo. Fizemos bom jogo contra a Bélgica, que soube se defender, e perdemos também. Soubemos perder, e ele tem que saber perder também", afirmou o zagueiro Marquinhos.
Outros atletas, como o volante Allan, foram ainda mais contundentes. Para o jogador do Napoli, a declaração mostra falta de respeito com o trabalho desenvolvido pela seleção brasileira durante a Copa América.
"A gente respeita o Messi, um dos jogadores mais fortes, mas faltou respeito com nosso trabalho nessa Copa América. Dizer que foi comprada não existe. Mostramos batalhando e jogo a jogo".
Thiago Silva, um dos jogadores mais experientes do elenco brasileiro, citou a história da seleção em edições passadas da Copa do Mundo, e afirmou que o Barcelona, de Messi, já foi favorecido contra seu PSG.
"Isso é dificil de comentar, porque tem algumas vezes, quando a gente tem derrota, procura tirar o foco da gente para jogar nos outros. Acho que não falou com maldade, mas saiu da boca dele. A gente fica triste né. Teve jogo 6 a 1 (oitavas de final da Liga dos Campeões de 2017) entre Barcelona e PSG, que a atuação do árbitro, no nosso modo de ver, foi rídicula. Mas nós não brigamos, não demos declaração que titulo estava encaminhado para eles. Tem que respeitar também a história, a gente não tem cinco estrelas à toa. Nenhuma delas foi roubada".
Até mesmo Daniel Alves, amigo de Messi e ex-companheiro de Barcelona, pediu mais respeito com o Brasil. "Eu não concordo com ele, aqui tem profissionais que trabalharam muito nessa competição, lutaram muito. Acredito que eliminamos eles merecidamente. Hoje é um dia muito especial".
Campeão da Copa América - primeiro título da seleção principal na era Tite - a seleção volta a se reunir em setembro, quando disputa amistosos com Colômbia e, novamente, o Peru, nos EUA.

Uol

Nenhum comentário