Header Ads

CMCG

Investigação da PF segue em ritmo acelerado para desarticular organização criminosa em Monteiro


As investigações da Polícia Federal, CGU e MPF desencadeada através da “Operação Feudo” na ultima quarta-feira (24) na cidade de Monteiro continua preocupando a administração municipal que não tendo base para defesa, pois o processo corre em segredo de justiça, partiu para o ataque.
A Polícia Federal chegou à cidade nas primeiras horas do dia, visitando a casa da Prefeita da cidade, Anna Lorena, da secretaria de Saúde, Anna Paula e também da secretaria de Educação, Anna Lima. Além do setor de licitação da Prefeitura, Secretaria de educação e Secretaria de Saúde onde cumpriu mandatos de busca e apreensão de mais de 30 kg de documentos, levando também computadores e celulares.
Diferente da cidade de Campina Grande, as investigações que acontecem em Monteio seguem em segredo de Justiça e o que chama a atenção e que o nome FEUDO remete ao vínculo familiar entre os integrantes do grupo criminoso atuante na cidade, de acordo com informações da Polícia Federal e Controladoria Geral da União.
As investigações apontam que entre os anos de 2017 e 2018 a CGU encontrou um desvio de mais de 5 milhões de reais dos cofres da prefeitura de Monteiro.
Recentemente a imprensa paraibana noticiou que no ano de 2018, a Prefeitura de Monteiro manteve contrato com a empreiteira do tio da prefeita Anna Lorena. Não somente o grau de parentesco entre as partes impressiona como também os valores de R$ 602.743,00 e R$ 338.035,00, que somados chegam a R$ 940.778,00 recebidos pelo tio na gestão da sobrinha.
Na prefeitura de Monteiro, a Rainha Empreiteira LTDA foi contratada para coletar resíduos sólidos com caminhões compactadores. A empresa já embolsou R$ 2.988.333,48 da prefeitura de Monteiro.
Levando em consideração que as investigações seguem em segredo de justiça, tendo em vista desarticular o grupo criminoso atuante na cidade, ficam muitas perguntas no ar que por enquanto a PF não pode responder.
Em quais esferas do poder público o grupo atua? Qual o grau de parentesco dos envolvidos? Quanto de recurso público foi desviado? Nomes dos integrantes do grupo? Qual o “modus operandi” desse grupo?
Em nota sobre a Operação Feudo, a prefeitura afirmou o seguinte: “Que repudia a informação divulgada, por setores da imprensa fomentados equivocadamente pelo grupo de oposição, cujas práticas são conhecidas na Paraíba pelo uso vultuoso de recursos financeiros, na tentativa de confundir a opinião pública a cerca dos supostos fatos”.
Se a prefeitura diz que repudia a informação divulgada, estaria o secretario de comunicação batendo de frente com a imprensa paraibana e contrariando a nota oficial da Polícia Federal enviada aos veículos de comunicação?
A verdade é que a nota ao invés de mostrar uma simples defesa da Prefeitura, partiu para o ataque insinuando que tem motivação política, algo que já é rotineiro no “Show de Notas” da Comunicação monteirense que não convence nem a eles mesmos com esse argumento típico de quem está em desespero.
O Segredo das Três Annas
Investigadas juntas na operação Feudo, as três Annas: Anna Lorena (Prefeita), Ana Paula (Secretária de Saúde) e Ana Lima (Secretária de Educação) não abrem a boca sobre o assunto, mesmo questionadas por aliados e correligionários na cidade. Parceiras, as Annas formam uma irmandade e não revelam nada sobre a Feudo.

portaldolitoralpb

Nenhum comentário