Header Ads

CMCG

Romero recebe ministro da Saúde e reivindica nova maternidade para Campina Grande



O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, recepcionou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em sua primeira visita oficial à cidade. A agenda de Mandetta foi marcada pela visita ao Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea) -unidade referência para municípios da Paraíba, de Pernambuco e do Rio Grande do Norte. 

Ao final da visita, o ministro reconheceu a importância do Isea por conta da boa performance da política de partos humanizados, mas também identificou que a instituição está sobrecarregada por conta do atendimento de um grande número de pacientes oriundos de cidades do interior da Paraíba e de outros Estados. 

Diante disso, Mandetta diz considerar importante a instituição contar com mais equipamentos, habilitação de novos serviços, implantação de UTI intermediária, além do atendimento de outras necessidades. Aguardará, então, que o governo municipal faça o devido levantamento e leve estas e outras demandas para análise em Brasília. 

Durante a visita, o prefeito Romero - que esteve acompanhado da secretária de Saúde, Luzia Pinto, demais auxiliares, vereadores e outras autoridades -,apresentou ao ministro um completo diagnóstico da realidade do Isea, que atende a mais de 180 municípios, entre os quais 31 estão localizados no Rio Grande do Norte e em Pernambuco. Só o custo do atendimento extra para outros estados é da ordem de R$ 5 milhões anuais.

Oncologia

O prefeito campinense ainda pleiteou ao ministro apoio ao setor oconlógico local, representado pelo Hospital da Fap, pois o Município está assumindo cada vez mais responsabilidades também nesta área. 
Romero Rodrigues alertou que, a partir de maio, a Prefeitura vai assumir ações como radiologia e até cirurgias oncológicas. 

Construção de nova maternidade

Ele também apelou para que, a curto ou médio prazo, o Ministério da Saúde construa uma nova maternidade em Campina Grande, destinada a fazer o atendimento regional. Com isso, a prefeitura se dispõe a entregar o projeto e até ceder um terreno. Contudo, há necessidade de serem viabilizados recursos junto ao governo federal. 

Para Romero, tudo deverá ser feito em termos de parcerias para que seja viabilizada a construção de uma nova maternidade, mesmo porque o Isea já conta com mais de 60 anos de existência, não tendo condições de atender a toda a demanda oriunda de vários Estados. 
Isto acontece embora o governo municipal já tenha feito ações como a construção de setor para o serviço de partos humanizados, casa da gestante, reconstrução da parte de ambiência, nova UTI neonatal, além de ampliação do número de leitos.

Nenhum comentário