Header Ads

CMCG

Cartazes colados em vidros na galeria da CMCG causam irritação na oposição


 



O vereador Alexandre do Sindicato (PHS) causou irritação na bancada de oposição, na manhã desta terça-feira (26), quando decidiu colar cartazes nos vidros que separam a galeria do plenário da Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG). É que os cartazes continham informações de terceirização dos serviços da Saúde e da Educação implementadas pelo governo do estado da Paraíba, Operação Calvário, dentre outros assuntos, mostrando publicamente a quem chegava à Casa, a contradição no discurso daqueles que fazem a defesa do governo do estado no legislativo campinense.

“Aqui é assim, se for o Governo do Estado pode tudo; já a administração municipal, nada pode. Esses cartazes são uma resposta as agressões que a Câmara tem sofrido diariamente por parte de alguns setores classistas que pregam que o que serve para governo do estado não serve para nós. De forma ordeira e respeitosa, até mesmo a outras pessoas que nos visitam. Estamos dando uma resposta a esses interlocutores do estado de que no estado há posições divergentes das suas falas aqui. Protege o estado e nos acusa de estarmos terceirizando os serviços, quando isso sequer aconteceu”, explicou Alexandre.

A suplente de vereadora, Pâmela Vital foi uma das que solicitou a retirada dos cartazes, mas não foi atendida. Os demais vereadores da oposição também passaram toda a sessão com artilharia pesada contra o que nominaram de falhas da atual gestão do prefeito, Romero Rodrigues. 

Alexandre do Sindicato explicou que havia solicitado autorização da mesa diretora da CMCG para colar os cartazes e que não estava expondo nenhuma inverdade, muito menos denegrindo ou agredindo alguém. Os cartazes permaneceram durante toda a sessão desta terça-feira e, segundo o parlamentar, serão expostos diariamente esta semana.

Na semana passada, o vereador Pimentel Filho assegurou que um colega costuma “aparecer” quando uma claque se faz presente à galeria da CMCG, que segundo ele é paga para aplaudir os vereadores da oposição e vaiar os da situação. Esses espectadores, segundo informações dos próprios vereadores de situação, são supostamente vinculados ao Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema (Sintab) e do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba (Stiupb).

Não foi à toa que o dirigente do Stiup, Wilton Velez resolveu diante da iminente municipalização dos serviços da água em Campina Grande, elaborar um banner (imagem ao lado) e publicá-lo na fanpage do Sindicato, denunciando os vereadores que possivelmente estariam a favor da privatização da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa). Mas o efeito causado foi contrário ao desejado pelo sindicalista que acabou por deletar o banner.

Segundo, Alexandre do Sindicato, os campinenses, em sua maioria, também desejam que os serviços sejam privatizados e já estão esclarecidos sobre o sucateamento que vive a Cagepa, sobre os altos salários pagos a determinados funcionários e recentemente sobre o caos enfrentado pelo povo de Campina Grande, quando do incêndio na subestação do Gravatá, que deixou a população sem água por mais de 10 dias. “O tiro saiu pela culatra. A população está ciente e também quer a privatização da Cagepa, afinal pagamos fortunas para não termos água em nossas casas”, ponderou o parlamentar.

O vereador destacou ainda que é vergonhoso a Cagepa não ter sequer um plano B em casos como o ocorrido na subestação do Gravatá. Ele acredita que é impossível que tenha havido qualquer tipo de atentado e assegura que o que aconteceu é consequência da falta de assistência e manutenção dos serviços da Cagepa na subestação e que esta realidade não é de hoje, mas de anos atrás.

Legitimidade

Alexandre do Sindicato informou que o tema privatização deve ser trazido à pauta, principalmente depois do caos vivido pela população campinense nos últimos dias, mas lembrou que o Executivo tem legitimidade para decidir sobre o que fazer e independe de uma autorização prévia do Legislativo, afinal a lei da Parceria Pública Privada, criada pelo ex-prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rego, já dá legitimidade a atual administração para fazê-lo.

Confira alguns cartazes que foram afixados na Galeria da CMCG







Nenhum comentário