Header Ads

CMCG

Municípios do Médio Piranhas ganham plano de ação para promover o desenvolvimento sustentável da região



Agenda comum foi elaborada através do programa Território Empreendedor Sustentável (TES), desenvolvido pelo Sebrae Paraíba

Mobilizar e articular lideranças dos segmentos público, privado e do terceiro setor para elaborar um plano de ação coletivo, que tenha como finalidade contribuir com a melhoria do ambiente de empreendedorismo, o desenvolvimento sustentável e a transformação positiva de uma região. Esse é o objetivo do Território Empreendedor Sustentável (TES), programa do Sebrae desenvolvido ao longo deste ano na região do Médio Piranhas, que engloba 10 municípios da Paraíba.

Depois de seis encontros, promovidos pelo programa para mobilizar lideranças locais, reunir e analisar dados e planejar ações, o Sebrae Paraíba realizou na manhã desta sexta-feira (14) o último encontro do TES na região, ocasião em que foi lançado o Plano de Ações para o Desenvolvimento Econômico Sustentável do Médio Piranhas da Paraíba – Agenda 2030. 

A solenidade foi realizada no município de Pombal e contou com a participação de gestores públicos, empresários e lideranças da região. Na ocasião, foram apresentados ao público a metodologia e um balanço das atividades do TES no Médio Piranhas, assim como os 26 objetivos prioritários e 30 metas que integram o Plano.

Além de Pombal, fazem parte do território do Médio Piranhas e, consequentemente, do Plano de Ações os municípios de Brejo do Cruz, Brejo dos Santos, Cajazeirinha, Catolé do Rocha, Paulista, Riacho dos Cavalos, São Bento, São Bentinho e São José do Brejo do Cruz.

Uma vez entregue e apresentado a estes municípios, o Plano, bem como sua condução, monitoramento e cumprimento das metas passa a ser de responsabilidade dos cerca de 30 líderes que participaram do TES, reunidos em um Grupo de Indução que vai contar com o apoio e a participação do Sebrae.

Conforme o gerente regional do Sebrae em Pombal, Lúcio Wolmer, o Plano de Ações foi elaborado para um período de 11 anos, tendo o ano de 2030 como seu horizonte temporal. Para estruturação desta agenda, ressaltou o gerente, foram definidos pelas lideranças três eixos considerados estratégicos para a região: a agropecuária, a indústria têxtil e artesanal e as fontes de energias renováveis.

No caso da agropecuária, foram priorizados a produção de leite e derivados, a olericultura, a caprinovinocultura e a avicultura de corte. Já o eixo da indústria têxtil tem como uma de suas metas a modernização e a sustentabilidade do processo produtivo, bem como a articulação de um amplo processo de formação de mão-de-obra para atender as demandas do setor. Por sua vez, o terceiro eixo, o das energias renováveis, terá ênfase no estímulo à produção de energia solar.

“O trabalho construído por esse grupo, formado por lideranças políticas, sindicais, comunitárias, empresários, representantes de instituições de ensino, dentre outros, é fantástico porque é algo de natureza simples, mas feito com uma visão territorial que, com certeza, vai render bons frutos nos próximos anos”, pontou Lúcio Wolmer.

Já o gerente da Unidade de Políticas Públicas do Sebrae Paraíba, Luciano Holanda, ressaltou que a elaboração do Plano é uma inciativa que vai contribuir decisivamente para o processo de desenvolvimento sustentável da região.

“Ao concluir as atividades do TES na região apresentando essa agenda comum de objetivos e metas em prol do desenvolvimento sustentável dos municípios, o Sebrae acredita que está cumprindo com a sua missão de auxiliar e estimular empreendedores e atores regionais a participarem ativamente, e de forma integrada, de um processo voltado à promoção de uma região economicamente e socialmente desenvolvida”, afirmou.

Nenhum comentário